sexta-feira, 28 de outubro de 2011

CHICO E CHICA


Arte de Wagner Oliveira, pintor, artista plástico assuense

Por Renato Caldas

Sinha môça, eu conto um fato
De chico ôio de gato
E Chica Passarinheira:
Ele, vendia missanga,
Pó de arroz e burundanga;
Era mascate de feira.
Chiquinha, uma roceira
Disposta e trabaiadeira...
Pegava os pásso e vendia.
Porém, tinha um priquito
Muito mansinho e bonito
Que ela, vendê num queria.

Chico, toda menhanzinha,
Ia a casa de Chiquinha
Já cum mardósa intenção...
Na cunversa qui travaram,
Os óios, se encontraram...
Tibungo no coração.

Chico moço da cidade
Cunversa de verdade,
Dotô em tufularia,
Foi devagá se chegando,
Passando a mão alisando
E o priquitinho cedia
O bicho se arrupiava...
Ela, calada, deixava,
Gostava daquele trato.
Nisso o amô pôz a canga!
Pôi-se a brincar cum a missanga
De Chico Oio de Gato.
Um brincando, outro alizando
E a missanga amarinhando
Nisso, um gritinho se ôvio.
Num é qui o priquito-rico,
Teve fome e abriu o bico...
Bufo - a missanga engoliu.

Chico mudô de caminho!
O verde priquitinho
Bateu asas e avuô...
E Chica Passarinheira,
Tá sôrta na buraqueira...
Inté de nome mudô.

Postado por Fernando Caldas 

Carlos Augusto: Rosalba foi a mulher que escolhi para ser minha companheira há 50 anos



“Ela foi à mulher que eu escolhi há quase 50 anos para ser a minha companheira, a mãe de meus filhos”.
A declaração em tom emocional, e emocionado, é do ex-deputado Carlos Augusto Rosado, ao explicar que, além de torcedor do sucesso da administração estadual, é o marido da governadora.
Carlos Augusto Rosado lembra que como marido da governadora, não teria como ignorar sua gestão.
Entretanto, pondera que sua postura foi, é e, sempre será, dentro dos parâmetros éticos e morais, que cabe a quem, como ele, é o marido de uma política que exerce o principal cargo do Estado.
Assim sendo, Carlos Augusto deixa claro que, por ter a consciência tranqüila de quem atua ao lado da mulher e, por isso, torce para que tudo aconteça da melhor forma possível, continuará dando sua pequena e humilde parcela de contribuição para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte.

Correio da Tarde
(Do Blog de Juscelino França)
‎" Faça mais do que existir – Viva.
Faça mais do que tocar – Sinta.
Faça mais do que olhar – Observe.
Faça mais do que ler – Absorva.
Faça mais do que escutar – Ouça.
Faça mais do que ouvir – Compreenda."

John H. Rhoades

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Tribuna do Norte | Raridades em 78 rotações

Tribuna do Norte Raridades em 78 rotações

Tribuna do Norte | Flipipa resgata obra oswaldiana em eventos

Tribuna do Norte Flipipa resgata obra oswaldiana em eventos

A GOVERNADORA POTIGUAR ANIVERSARIA


Da direita: Fernando Caldas e a gov. Rosalba

A governadora do Estado potiguar Rosalba Ciarlini aniversaria hoje, 26, com missa de ação de graça que será celebrada no Palácio da Cultura, então Palácio Potengi às 17 horas. Na cidade oestana de Mossoró, terra natal de Rosalba, a missa será celebrada na Capela São Vicente amanhã, quinta-feira, 27, às 18 horas.

O editor deste blog parabeniza Rosalba Ciarline pelos seus 59 anos de idade, além de boa sorte e sucesso no governo do Rio Grande do Norte. 

Fernando Caldas

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Transfiguração

Transfigurei-me
como o mar.
Tenho sal
e trago musgos.
Em mim.

Não sou mais
como à noite,
não sou mais
como o vento.

Transfigurei-me
e me tornei
como o rio,
em cujas águas azuladas
contemplo o teu rosto.

Transfigurei-me
E me tornei
como o mar,
me tornei como um pássaro.
Que ti procura,
Todo momento,
Na tempestade.

Walflan de Queiroz, poeta potiguar

Postado por Fernando Caldas

DESCOBERTA MASCULINA

Aproveite a oportunidade! Vai até 31 de Agosto! Corra e compre em "até 50 vezes!"


http://tribunadonorte.com.br/noticia/paulo-de-tarso-admite-excesso/200455

http://tribunadonorte.com.br/noticia/paulo-de-tarso-admite-excesso/200455

Aluísio França ao lado do prefeito Luisinho




Sempre tenho sido um  intusiasta do nome de Aluísio França para vereador em 2012, sei da competência dele ao longo dos seus 51 anos de vida já provou que é capaz de legislar em favor de seu povo Ipanguaçuense. Chegou a sua vez e a sua hora, competência comprovada, como desportista, locutor, como professor e agora se saindo muito bem como blogueiro. Aluisio está filiado ao PV com tudo defendo que você faça uma avaliação que vale a pena está neste sistema que você está.

domingo, 23 de outubro de 2011

O valor da amizade










Você já parou para pensar sobre o valor da amizade?
Às vezes nos encontramos preocupados, ansiosos, em volta há situações complicadas, nos sentindo meio que perdidos, mas somente o fato de conversarmos com um amigo, desabafando o que nos está no íntimo, já nos sentimos melhor, mesmo que as coisas permaneçam inalteradas.
Quantas vezes são os amigos que nos fazem sorrir quando tínhamos vontade de chorar, mas a sua simples presença nos traz de volta o brilho da vida.
A simplicidade das brincadeiras pueris, a conversa informal naqueles momentos de descontração, uma conversa rápida ao telefone, no vai e vem do dia ou da noite, no bate -papo pela Internet, no ambiente do trabalho ou da escola, enfim, em qualquer lugar a qualquer hora.
Entretanto, não existe só alegria, amor, felicidade nesta relação, ela é como qualquer outro relacionamento, passa por crises passageiras, por momentos intempestivos, abalos ocasionais.
Ainda que tenhamos muito carinho pelo amigo em questão, às vezes por insegurança, por ciúmes, por estarmos emocionalmente alterados ou nos sentindo pressionados, acabamos sendo injustos com ele e isso pode ser recíproco.
Podemos comparar esse elo de amizade como o tempo que passa por alterações climáticas constantemente, mas é dessa forma que aprendemos a nos conhecer, compartilhar momentos e que se desenvolve uma amizade.
Diante do amigo somos nós mesmos, deixamos vir à tona nossos pensamentos a respeito das coisas, da vida, nos mostramos como verdadeiramente somos.
Há amigos que nos ensinam muito, nos fazem enxergar situações que às vezes não percebemos o seu real sentido, compartilham a suas experiência conosco, nos falam usando da verdade que buscamos encontrar.
São eles também que nos chamam a razão, chamando a nossa atenção quando agimos de modo contraditório, que nos dizem coisas que não queremos ouvir, aceitar ou compreender, são eles que são capazes nos fazer enxergar nossos defeitos se espelhando nos defeitos dele.
Ao longo de nossa vida muitos amigos passam por ela e nos deixam saudades, mas também deixam a recordação de tudo que foi vivido. É na amizade verdadeira que encontramos a sinceridade, lealdade, afinidade, cumplicidade, simplicidade, fraternidade.
Amigos são irmãos que a vida nos deu para caminhar conosco ao longo da nossa jornada espiritual, extrapolando os limites do tempo, continuando quando e onde Deus assim o permitir.

S. Bernardelli
Do Facebook de TC

sábado, 22 de outubro de 2011

Insano


Por Rômulo Gomes*

Perdido num mundo onde a porta está difícil de abrir e a janela parece distante.
Mergulhado em meio às lágrimas escondidas, prantos guardados e sorrisos amarelos.
Escravo de falsas aparências.
Apegado aos falsos pudores.
Preso dentro de mim mesmo.
Procurando caminhos e encontrando paredes, somente.
Buscando luz, mas impregnado de cinzas.
Desejoso em sentir a luz do sol, mas amargurado com a sombra da noite escura.
Assim sou eu... Conflitante, insano.
E quem não é?!

*Graduando do 7º período de Letras – Língua Portuguesa/UERN, cursando Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior – FECR, Vice-diretor no município de Santana do Matos, apaixonado por literatura e aprendiz de escritor

(cesargomes_17@yahoo.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011











‎"Status é comprar coisas que você não quer, com o dinheiro que você não tem, a fim de mostrar para gente que você não gosta, uma pessoa que você não é."
E no final, você continua sendo a mesma pessoa com a diferença de que ontem você era um pouco melhor do que hoje. Quem vive de aparência nada reflete de si, tudo tem cheiro do que é falso. Ser uma réplica mal acabada de um desejo é viver uma eterna e amarga ilusão."

VAQUEJADA NO PIATÓ DIAS 22 E 23 PRÓXIMOS

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

ASSU EM VERSOS





Assu seu nome reflete grandeza,
Da mais pura e majestosa beleza,
De poesia, de amor e de encanto,
Da cultura tornou-se recanto,
De arrail tornou-se Vila,
E de Vila depois cidade.
Assu na sua realidade,
representa o nosso Vale,
Nossa história, nossa alegria,
Nos seus versos virou arte.
Conhecida no Brasil,
de Atenas do Sertão.
Seu padroeiro é São João,
Com quadrilhas, brincadeiras,
Sem esquecer das fogueiras,
E das apresentações.
São artistas, são cantores,
De poetas trovadores,
A cantores nacionais.
Nossa terra é demais!...

Postado por Juscelino França

terça-feira, 18 de outubro de 2011



"Para encerrar um ciclo é necessário trocar de roupa, mudar de vida, virar a página. Encerrar um ciclo é deixar que a vida se renove, que se despreenda de você o velho, o antigo, o que não alegra, nem traz motivação. Não se encerra um ciclo até que se escreva a última linha e se coloque um ponto final. Não se passa de um ciclo para outro sem dor, mas mudar é antes de tudo crescer. Se desapegue, olh...e de novo para dentro de você e deixe ir tudo que já não importa. Abra espaço para o novo, o que a vida há de trazer de bom. Só se muda quando se está pronto para soltar o que não se quer para se segurar o que se deseja. Cada ciclo tem o seu motivo, um degrau para o próximo. Encerrou uma fase? Comece uma nova, cheio de energia, olhando para frente, pois quando algo se vai é para dar espaço para algo melhor ainda chegar."
MC

FNE destina 300 milhões para o agronegócio do estado em 2012


A agricultura receberá 100 milhões, a agroindústria 60 milhões e a pecuária 140 milhões

Foi promovida nesta segunda-feira (17) na Superintendência do Banco do Nordeste (BNB), em Natal, reunião de trabalho que definiu os números e as estratégias de aplicação dos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para o exercício de 2012.

Na oportunidade, o superintendente do BNB, José Maria Vilar, acompanhado de representantes do setor produtivo potiguar, entre eles o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, debateram sobre os valores a serem empregados no Estado. “Foi uma reunião proveitosa que deixou o setor rural muito otimista. Acredito que os números apresentados para o nosso setor nunca foram tão bons”, ressaltou Vieira.

De acordo com o presidente da Faern, no exercício de 2012, a área rural receberá uma grande soma de investimentos, que totalizados, atingem a marca de 300 milhões de reais. “Ficou acertado que a agricultura receberá 100 milhões, a agroindústria 60 milhões e a pecuária 140 milhões. Números generosos que poderão alavancar a atividade rural do Rio Grande do Norte”, explicou José Vieira.

Plano Plurianual do Governo Federal

A realização da reunião é parte das ações do Banco do Nordeste para a elaboração da Programação Anual do FNE, em consonância com as diretrizes e orientações gerais do Ministério da Integração Nacional e do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (CONDEL/SUDENE), além das prioridades dos governos estaduais.

Na elaboração desse planejamento, o BNB alinha-se ao Plano Plurianual do Governo Federal (PPA 2012/2015), à Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR, ao Plano Agrícola e Pecuário do Governo Federal, ao Plano Safra da Agricultura Familiar, às orientações do Ministério da Integração e da SUDENE e aos PPAs estaduais, incorporando contribuições de órgãos governamentais, representantes do setor produtivo, movimentos sociais e parceiros locais, bem como as diretrizes legais dos Fundos Constitucionais (Leis 7.827/89, 10.177/01 e Lei Complementar 125/07).

Outros setores

Na reunião proposta pelo Banco do Nordeste, ainda ficou definido que o setor industrial terá investimentos na ordem de 408 milhões, o setor de comércio e serviços terá 207 milhões e o setor de turismo terá investimentos na casa de 120 milhões.


Paulo Correia / AEcoar
Mais informações: 9986-7476
-- 
 
ECOAR AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
 
Leonardo Sodré                                 João Maria Medeiros
Editor Geral                                          Diretor de Redação
9431-5115                                                               9144-6632
 
Nosso blog
www.ecoimprensanatal.blogspot.com 
 
Nosso e-mail





Reitor Milton Marques anuncia criação de dois novos cursos no Campus Avançado da Uern em Assú



ASSÚ - Já está sendo trabalhado na preparação para o Processo Seletivo Vocacionado (PSV) 2012, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) a criação dos cursos de Gestão Pública e Geografia, que reforçarão a grade acadêmica do Campus Avançado Prefeito Walter de Sá Leitão, na cidade de Assú.
O anúncio foi feito, sexta-feira da última semana, pelo reitor Milton Marques de Medeiros, por ocasião de sua presença na cidade como um dos convidados da audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa.
Proposta pelo deputado estadual George Soares (PR), a audiência pública girou em torno do tema "Desenvolvimento Sustentável do Vale do Açu". A participação do reitor Milton Marques teve o caráter justamente de falar dos projetos de ampliação de cursos da Uern para sua célula local.
"Estamos aqui (...) pra falar sobre a Universidade, sobre novos cursos que serão criados em Assú. Há o desejo de se instalar para o próximo PSV (...) dois cursos para Assú. Isso já está 'engatilhado', já está tudo encaminhado, tudo definido", declarou o professor Milton Marques dentro de sua intervenção.
O reitor da Uern reconheceu que, apesar da determinação de instituir dois novos cursos universitários, existe pleito no sentido de que se verifique uma oferta maior.

Confidenciou que uma reivindicação neste contexto é feita pelo próprio parlamentar republicano. "A cidade quer mais. Nós estamos recebendo por parte da Assembléia Legislativa do Estado uma solicitação encaminhada pelo deputado George Soares para que se tenha mais três cursos em Assú: Medicina, Direito e Enfermagem", revelou o reitor. "Isso significa um custo muito mais alto e consequentemente uma verba ou orçamento mais específico", acrescentou.
EXPECTATIVA
Entretanto, o professor Milton Marques se comprometeu a desencadear esse processo de expansão na instância da Uern. "Quem sabe Assú possa contar com mais cursos do que os dois que estamos com eles 'engatilhados' pra acontecer no próximo ano", prognosticou. O reitor chamou a atenção para o fato de que o curso de Gestão Pública que chegará ao Campus Avançado do Assú, provavelmente a partir de 2012, representará o primeiro do gênero numa instituição de ensino superior pública do Estado. Por sua vez, a constituição do curso de Geografia atende um pedido apresentado pela direção da 11ª Diretoria Regional de Educação (Dired), com sede em Assú.

Fonte: O Mossoroense
(Do Blog Aluízio Lacerda)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

AUTISMO



Compartilhe!

"Esta é a Semana da Educação Especial e o mês do autismo e este post é em honra de todas as crianças que Deus fez de uma maneira única e excepcional."
 
De: Eliana Valério (Facebook)
Postado po Fernando Caldas
O adulador tem mel na boca e fel no coração.

Você conhece pessoas assim? Que só te procuram para tirar algum proveito do que você tem? Para se beneficiar de suas conquistas? O que de bom essas pessoas podem trazer se tudo o que dizem e fazem tem segundas intenções? Tente reconhecer os aduladores. E sabe como? Pelos olhos. Se os olhos não "sorrirem" quando essa pessoa sorri, fuja dela! Não se deixe levar pela vaidade que essas palavras lhe causarem, porque quando você não tiver mais nada a oferecer de bom para esse tipo de pessoa, você estará sozinha! E não é isso que quer para você, não é mesmo?
Para elevar o livro, basta falar dos sábios.

João Lins Caldas, poeta, filósofo potiguar assuense


"Não há no mundo excesso mais belo que o da gratidão."

(La Bruyère)

(Do Facebook de uma amiga)
                                                                  Fotografias

Por Rômulo Gomes*



Ainda carente do pecado fizeram-me acreditar que não podemos ser aquilo que de fato somos. Fui severamente forçado a seguir padrões, respeitar normas, viver em detrimento do outro... Sem muito considerar o meu eu.
Assim, cresci e vivi por muito tempo pensando ser diferente, errado, meio torto... Como se estivesse à margem do grupo tido como perfeito, honesto e correto.
Mais tarde descobri que na verdade, diferentes e perversos são aqueles que me impuseram seus gostos, seus perfis “perfeitos”; suas normas e filosofias medíocres e insanas.
No começo, pintaram-me de azul, sendo que nasci roxo, visivelmente.
Enganaram-me, pela primeira vez. Minha fotografia não mostrava quem eu realmente era.
Mas tarde pintaram-me mais uma vez, agora de preto. E eu estava cinza.
Deixei-me mais uma vez ser enganado pelo pincel do artista.
E pintam-me a toda hora...  Essa è a verdade! Mesmo sabendo que as fotografias também mudam de cor e que o cenário se transforma, continuam me pintando em longas telas com pinceis nº 16, escolhido pelo próprio artesão.
Pasmem, pois desenham-me também, o que é mais forte do que fotografar!... E ainda com traços bem firmes, fortes, à lá Van Gogh.
... Hoje, fiz-me branco e ainda continuam me pintando... Ao ponto de sentir a necessidade de possuir uma tela com o meu próprio rosto exposta na parede do meu íntimo.

*Graduando do 7º período de Letras – Língua Portuguesa/UERN, cursando Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior – FECR, Vice-diretor no município de Santana do Matos, apaixonado por literatura e aprendiz de escritor
(cesargomes_17@yahoo.com.br)

Mensagem do prefeito Ivan Júnior ao povo assuense pelos 166 anos de emancipação política do Município


Ao comemorarmos os 166 anos da emancipação politica de Assú, convido a todos a fazermos uma reflexão sobre o presente e o futuro do nosso município. Tendo como inspiração a história e os exemplos dos homens e mulheres que transformaram a Vila Nova da Princesa no hoje pujante e importante município do Assú. Temos muitos desafios para colocar o Assú nos rumos do desenvolvimento que o século vinte e um exige.

E vamos alcançar com o trabalho, o esforço, a dedicação e o compromisso do nosso povo. A nossa maior riqueza é a capacidade produtiva e o patrimônio cultural de nosso povo.
A importância do Assú para o Rio Grande do Norte está na contribuição econômica e cultural dos filhos desta terra que ajudam a construir a historia do nosso estado.

Portanto, meus amigos e minhas amigas, nesse momento festivo convida a todos e a todas para, cada vez mais, trabalharmos para continuar construindo um Assú mais forte e que encha de orgulho cada um dos seus filhos. Eu tenho orgulho de ser assuense e trabalhar pelo crescimento da nossa terra.
Parabéns Assú. Beijo para quem é de beijo, abraço para quem é de abraço, saúde e paz para todos.

Postado em: Nelson Dantas

domingo, 16 de outubro de 2011

RÁDIO PRINCESA DO VALE: 30 ANOS Parabéns

 

 

CLIQUE AQUI e veja as fotos dos momentos que marcaram a história da emissora.
 
 
 

PARABÉNS ASSÚ HISTÓRICO DO ASSÚ


Até meados do séculos XVIII, a terra rica em lavoura e pecuária do vale do Rio Açu era habitada pelos janduís, nome do chefe indígena que se estendeu à tribo. Nessa época, o homem branco já havia começado a explorar os potenciais da região, gerando amplo conflito de interesses com os índios. O homem branco partia para a criação bovina, enquanto os janduís consideravam legítima a caça ao gado.

Devido à intensidade das lutas entre brancos e índios, um grande conflito, conhecido como a guerra dos Bárbaros, marcou a década compreendida entre 1687 a 1697.

Em 1696, Bernardo Vieira de Melo, então Governador da Capitania do Rio Grande do Norte, colocou-se à frente de uma pequena expedição e fundou à margem esquerda do Rio Açú (ou Piranhas) o Arraial de Nossa Senhora dos Prazeres, ponto de reforço para a conquista do sertão. Bernardo Vieira instalou-se com seus soldados no novo arraial, iniciando o aldeamento dos índios e assegurando o estabelecimento dos colonos. Surgiu daí o povoado conhecido como povoação de São João Batista da Ribeira do Céu.

A pecuária pode retomar seu crescimento ao final dos conflitos, desenvolvendo-se rapidamente e tornando-se importante atividade econômica. Nesse período, as oficinas de carne seca e a indústria de extração da cera de carnaúba representavam a base da economia da região.

O município foi criado por Ordem Régia em 22 de julho de 1766. Inicialmente foi denominado de Vila Nova da Princesa, em homenagem à princesa Dona Carlota Joaquina de Bourbon, que se casou com D. João VI em abril de 1785.

A Lei provincial nº 124, de 16 de outubro de 1845, concedeu à Vila Nova da Princesa foros de cidade com o nome de Açú. O nome Açú tem origem na "Taba-Açu" (Aldeia Grande), uma área de agrupamento de índios guerreiros da região.

Postado por Rosimar (Página R.)


ASSU, 166 ANOS DE CIDADE

Baobás da Lagoa do Piató - Desconheço o autor da fotografia.

Me ufano em dizer que a minha querida cidade de Assu é um dos municípios brasileiros da maior importância. Terra dos Verdes Carnaubais. Assu é cognominada também de Terra da Poesia, Atenas Norte-rio-grandense. Seus poetas são dos bons, alguns deles de calibre nacional, dos melhores da língua portuguesa. Sem esquecer seus artistas plásticos, seus jornalistas. O cultivo da fruticultura nas suas terras férteis, a exportação da produção, o petróleo jorrando é uma realidade. Os feitos patrióticos de alguns filhos seus, estão nas páginas da história da terra potiguar. Seus sobrados e casarões neoclássicos duplamente centenários, os Baobás, a Lagoa do Piató, as carnaubeiras (espécie de Palmeira) com seu porte esbelto que encantam seus filhos e visitantes, são uns dos seus “cartões postais”. A sua culinária é deliciosa como, por exemplo, o Tucunaré (peixe de água doce) frito com feijão verde e batata doce, além da carne de sol, paçoca no pilão, sem esquecer a galinha caipira torradinha ou refogada acompanhado com uma cachacinha’, uma ‘geladinha’ ou um bom vinho, vai muito bem. Pois bem, essa terra hoje aniversária com 165 anos que ganhou foros de cidade de Assu. Antes, Vila Nova da Princesa. É a segunda cidade do interior potiguar  a ser instalada. Terra de tradições pioneiras, de famílias aristocráticas e tradicionais. O seu povo é generoso, hospitaleiro e festeiro - dos bailes fidalgos de então. Mas, não é que naquela terra assuense está sendo realizado desde sexta-feira, 14, anteontem, o melhor carnaval fora de época do interior do estado (Assufolia). E quem chega por lá para uma visita ou trabalhar e beber da sua água, não quer mais sair, logo arranja um namoro com uma moça bonita (um dos seus produtos principais), se casam, nascem os filhos e aí fica enraizado como a carnaubeira. Tem um fato interessante: “bafejado pelo farfalhar dos carnaubais", vira logo poeta! Vá lá pra conferir! Fica a 220 quilômetros de Natal. É muito quente. Mas, para esfriar é só dá um mergulho na Lagoa do Piató, no rio Piranhas, na Barragem e pronto. Calorenta de dia. A tardinha começa a esfriar e vai até de manhãzinha. Parabéns Assu, pelo dia de hoje. Fiquemos nos versos de um dos seus poetas chamado Andiére Abreu, que lhe decanta de tal modo: Na estrada ainda distante / Vejo o Vale verdejante / Vejo a torre da Matriz, / Vejo a indústria em atividade / Assu é realidade / E faz o povo feliz. / Seus sobrados seculares / Que antigamente eram os lares / Dos nossos bons ancestrais, Vêem mais perto a luz da rua, Estão quase em toda rua, São nossos cartões postais. / Banhada pelo Piranhas / Que corre em suas entranhas / Com solene lentidão / Se agasalhando em seu colo / Fertilizando o seu solo / Irrigando o coração, / Pra nós Assu é a mais bela / Lá o poeta se revela / Com fluídos da poesia, / Nossas alegrias crescem / Nossos olhos se umedecem / Com tanto encanto e magia.

Fernando Caldas

sábado, 15 de outubro de 2011

ALUÍZIO LACERDA ANIVERSARIA

Aluizio Lacerda

O assuense de Carnaubais professor, blogueiro Aluízio Lacerda está  agora no blogspot (aluiziode carnaubais.blogspot.com), narrando os fatos políticos do Vale do Assu, da terra potiguar e do Brasil. Ele é meu amigo, foi meu companheiro na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte. Eu, como Sub-secretário de Administração Financeira e Orçamentária daquele legislativo potiguar, e ele, Aluízio, como Assessor de Gabinete do deputado estadual (constituinte de 1889) Paulo Montenegro. Hoje, 15, véspera do aniversário que elevou a Vila Nova da Princesa (1888) a cidade de Assu (1845) é o seu aniversário. A este velho amigo, defensor intransigente das causas varzeanas, os meus parabéns. Que você seja feliz! Que Santa Luzia, pdroeira da sua terra amada, lhe proteja.

Fernando "Fanfa" Caldas 

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

DEUS!


Deus preenche o infinito
Preenche os vales do amor!
- E, se a dor solta seu grito

Deus vive também na dor!
 
João Lins Caldas (1988-1967), poeta potiguar do Assu

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

SOBRE O ASSU DE ANTIGAMENTE



O primeiro sobrado (a esquerda) fora demolido na administração do prefeito Edgard Montenegro, 1948-53, para dar lugar a sede da prefeitura daquele município, que Edgard começou a construir e o prefeito Francisco Augusto Caldas de Amorim, 1953-58, concluiu. O outro sobrado (vizinho a prefeitura), pertencia a família Soares de Macedo, que também fora demolido para dar lugar a um prédio comercial, no começo dos anos oitenta. Podemos observar que a praça do Rosário (onde há muitos anos atrás era edificado uma pequena igreja, denominada Ireja do Rosário), ainda não teria sido construida. Na fotografia acima, podemos também observar as torres da Igreja Matriz de São João Batista.

Gonçalo Lins Wanderley foi o primeiro proprietário de altomóvel de luxo. Aquele seu veículo de luxo, tinha segundo irformações dos mais antigos assuenses cortinas de seda. Foi ele também o primeiro presidente da Câmara Municipal do Assu, ainda no regime monarquico quando a câmara implicava em cargo de administração. A câmara foi o primeiro regime de governo local do Assu.

A poeta (que eu prefiro chamar poetisa) e educadora sinhazinha Wanderley conta que em Assu existiu um pequeno museu com aves e cobras descecadas, além de um pedaço do osso do cangaceiro Jesuíno Brilhante.

As primeiras iluminações públicas eram feitas de vela de cera de carnaúba, de azeite de peixe dentro de um caco e, depois, com clássicos lampiões a querozene. A iluminação era no casarões dos velhos coronéis (da cêra de carnaúba).

O primeiro poço tubular fora instalado na propriedade denominada "Arranhenta" de propriedade de Luiz Gomes de Amorim. Luiz adquiriu o equipamento nos Estados Unidos, fabricado pela Aermotor Campany, de Chicago. Chegou no Assu a 11 de fevereiro de 1916.

O telégrafo fora instalado a 11 de dezembro de 1890, na então rua São Paulo, atual Minervino Wanderley.

O primeiro cinema foi o Cine Theatro Pedro Amorim, trazido por Luiz Correia de Sá Leitão com a grande colaboração do Cel. Francisco Martins Fernandes que foi em terra assuense, comerciante bem sucedido.

O primeiro avião a pousar no Assu foi um C-30 militar, no dia 24 de agosto de 1938. Tinha a denominação de "Mucuripe".

O primeiro Vigário do Assu foi Manuel de Mesquita e Silva, em 1726.

O primeiro promotor público do Assu foi o Manuel da Silva Ribeiro.

O primeiro tabeíão público do Assu foi Manuel de Melo Montenegro Pessoa, avô do dr. Edgard Borges Mpntenegro.

O primeiro médico do Assu e do Rio Grande do Norte foi Luiz Carlos Lins Wanderley, formado na Bahia. Além de ter sido o primeiro romancista do Rio Grande do Norte. E, se não foi o primeiro foi um dos primeiros poetas do Assu.

O primeiro farmacêutico do Assu foi Pedro Soares de Araújo Amorim, diplomado na Bahia em 1857.

O primeiro dentista do Assu foi Francisco da Câmara Caldas, formado na Bahia, em 1929.

O primeiro engenheiro civil do Assu foi Raul de Sena Caldas, formado no Rio de Janeiro para onde ainda jovem, na década de trinta, regressou aquela terra carioca. No Rio era engenheiro do Departamento de Águas e Esgotos daquela e fora convidado pelo Conselho Britânico a conhecer a Inglaterra. Raul era proprietário de terras no Vale do Assu (Ipanguaçu).

O primeiro professor normalista do Assu foi o dr. Luiz Antônio Ferreira Souto dos Santos Lima.

O primeiro bairro habitacional do Assu é o bairro dom Eliseu.

Postado por Fernando Caldas

terça-feira, 11 de outubro de 2011



Deus, que tudo tem formado
E que nos deu esperanças,
Devia ao mundo ter dado
Em vez de homens - crianças.

Caldas

ALEGRIA DE SER CRIANÇA

Meu amado dono,
Minha vida deve durar entre 10 e 15 anos, já estou com alguns anos.
Qualquer separação é muito dolorosa para nós. Não fique zangado por muito tempo e não me prenda em nenhum lugar como punição.
Você tem seu trabalho, seus amigos e suas diversões.
EU SÓ TENHO VOCÊ!
Fale comigo de vez em quando.Compreendo muito bem o seu tom de voz e sinto tudo o que você está dizendo. Ficará gravado em mim para sempre, jamais esquecerei.
Antes de me bater por algum motivo, lembre-se que tenho dentes que poderiam feri-lo seriamente, mas que jamais vou usá-los em você.Jamais!
Antes de me censurar por estar preguiçoso ou teimoso, veja antes se há alguma coisa me incomodando. Talvez eu não esteja me alimentando bem. Posso estar resfriado ou, ainda, meu coração pode estar ficando mais fraco…
Cuide de mim quando eu ficar velho e cansado – Por favor NÃO ME ABANDONE!
Tudo é mais fácil para mim com você ao meu lado.
Me ame, pois independente de qualquer razão, eu lhe amarei para sempre!
 
De: Alegria de ser criança

SEXTILHA

Rosas a Desfolhar - Fotografia
Ilustração do blog

A saudade é um parafuso
que quando a rosca cai
só entra se for torcendo
porque batendo não vai.
Mas quando enferruja dentro
nem distorcendo não sai


Por Luiz Antônio Siqueira

[Luiz Antônio é natural de Ipanguaçu, radicado no Assu, terra da poesia. Agora, já maduro, Luiz se revela poeta. Muito boa a sua criatividade poética. Continua meu conterrâneo].

Fernando Caldas

ONDE ESTÁ?

Crer que o universo não tenha um Criador é o mesmo que acreditar que o dicionário é o resultado de uma explosão na tipografia (Benjamin Franklin)
Os homens querem ser grandes, os grandes querem ser reis, os reis querem ser deuses. E Deus? Deus resolveu tornar-se um ser humano em Jesus de Nazaré (autor desconhecido).
O pouco com Deus é tudo; o tudo sem Deus é nada.
O que as pessoas neste mundo mais procuram são respostas. Os problemas, as dificuldades, as turbulências, em muito superam as soluções a serem achadas. Paz é uma situação cada vez mais rara em nosso planeta. Desde o íntimo de um lar até no relacionamento entre povos e nações. Por mais que aparentemente enxerguemos clima de concórdia, de harmonia entre seres humanos, por trás dos “bastidores” tramas, intrigas, convulsões são geradas e proliferadas.
Ainda assim, lastimamos tomar conhecimento de muitos que resistem em buscar a Deus como auxílio, apoio e amparo.
A ilustração anexa, por mais hilariante que seja em seu início, descodifica o sentimento que permeia em muitos corações na atualidade: onde está Deus?
Semanalmente enviamos com muito carinho mensagens que renovam nosso apelo para que insistamos na busca pela assistência divina em nossa vida. A presença de Jesus como enviado de Deus para nos proteger e sustentar necessita ser considerada com seriedade e humildade. Nenhum motivo ou razão existe para que deixemos de recorrer à Sua ajuda. E sempre haveremos de salientar, de ressaltar: jamais alguém se dirigiu a Jesus e saiu decepcionado, se o buscou de todo o coração. Se eventualmente estiver em situação semelhante, experimente Jesus em sua vida e, posteriormente, analise os resultados. E mesmo em momentos felizes e alegres, compartilhe com Ele essas situações e agradeça por Sua companhia.
Que o seu final de semana seja muito feliz e tranquilo ao lado de quem lhe proporciona tantos momentos de intensa alegria, sua família, compartilhando com seus queridos a mensagem que acabou de ler.

Clênio Lins Caldas
Onde está?
"Porém ninguém diz: Onde está Deus que me criou, que dá salmos durante a noite; Que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?" (Jó 35:10, 11).

Certa mulher tinha dois pequenos meninos que faziam tantas travessuras que a estavam levando ao desespero. Um dia ela resolveu levá-los para uma conversa com o pastor. Quem sabe ele teria sucesso já que ela tentara de tudo e falhara sempre. O pastor decidiu conversar primeiro com o menino mais velho, deixando o outro esperando do lado de fora de sua sala. O menino mais velho estava assustado. O pastor parecia muito sério dentro daquele terno preto. O ministro, um homem bondoso, olhou ternamente para o menino e perguntou: "Jovem, onde está Deus?" O menino não tinha a menor ideia do que responder e ficou em silêncio. O ministro repetiu a pergunta: "Jovem, onde está Deus?" O menino permaneceu calado. O pastor perguntou, novamente, em voz mais alta: "Jovem, eu estou perguntando, 'Onde está Deus?'" O menino levantou-se de um salto e correu para fora da sala. Pegou seu irmão mais novo e saiu em disparada da igreja. Enquanto corriam ele falou ao irmão: "Leo, eles perderam Deus e estão tentando por a culpa em nós!"

Nós vivemos em um mundo que perdeu Deus e nem sabemos em quem por a culpa. Não está havendo mais respeito, nem compreensão, nem paciência, nem amor, nem fé, nem esperança. Quase sempre ouvimos a mesma coisa: "Não adianta querer mudar a situação; tudo está perdido!"

Os homens seguem seus próprios caminhos equivocados. A violência está espalhada por toda parte. Os vícios atingem os jovens de todas as classes e idades. A corrupção deixou de ser exceção e parece ser regra geral. Tentamos encontrar uma luz mas parece que as trevas envolveram tudo.

Estará, mesmo, tudo perdido? Claro que não! Deus não está perdido. Ele está à nossa espera, pronto a nos socorrer, a nos abraçar, a modificar nossos caminhos, a nos perdoar, a nos abençoar. Assim como uma sala escura se enche de luz ao pressionarmos o interruptor, também a nossa vida se ilumina quando abrimos o coração para o nosso Senhor. Nada está perdido! Não há treva que possa suportar a presença de Jesus Cristo, nosso Salvador e Senhor.

Onde está Deus em sua vida?

Pr. Paulo Roberto Barbosa

LAÇOS POÉTICOS NO PIANO BAR

Yuno Silva - repórter

A histórica conexão entre Brasil e Portugal vai além dos clichês feijoada e caipirinha, bacalhau e vinho do porto. Outros laços que unem esses países ganham harmonias e canções em "Poema Bar", projeto que conjuga poesia e música dos dois continentes. O espetáculo, todo construído a partir de versos assinados por Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa, traz o ator Alexandre Borges de volta a Natal nesta terça-feira (véspera de feriado), às 21h, no Teatro Alberto Maranhão, Ribeira. Os ingressos custam R$ 40 e R$ 20 (meia), e estão à venda na bilheteria do próprio TAM.


Editoria Viver/AlexAlexandre Borges conheceu Sílvia Sol, este ano, num show que assistiu no Bar JobimAlexandre Borges conheceu Sílvia Sol, este ano, num show que assistiu no Bar Jobim
No palco, Borges declama e dramatiza poemas enquanto o pianista português João Vasco executa a trilha sonora. A dupla, que escolheu o RN para iniciar a temporada brasileira de "Poema Bar", estará acompanhada pela cantora potiguar Sílvia Sol. A montagem, idealizada por Vasco, é fruto do intercâmbio cultural entre os dois países. Compilação de versos, onde as palavras declamadas pelo ator são emolduradas pelo som do fado, canções brasileiras e harmonias improvisadas, cuja interpretação fica sempre à cargo de uma cantora convidada, a peça celebra a poesia, a música e as mais belas palavras imortalizadas pelos dois poetas.

Até o momento, "Poema Bar", que estreou em junho passado na Casa Fernando Pessoa em Lisboa, foi apresentado apenas em Portugal e na Alemanha; e depois da passagem por Natal, o espetáculo segue para o Rio de Janeiro e se insere na programação que ilustra a semana comemorativa aos 98 anos de nascimento do poetinha falecido em 1980 - Vinícius de Moraes nasceu no Rio dia 19 de outubro de 1913.

Convidada pela produção local para completar o time, Sol interpreta quatro canções durante o espetáculo. "O convite foi obra do acaso: quando o Alexandre Borges esteve em Natal no início de julho com a peça 'Eu te amo', ele visitou o bar e restaurante Jobim, em Petrópolis, justamente por ter relação com o projeto 'Poema Bar', e eu estava lá cantando. Como rolou a proposta da turnê brasileira começar por aqui, Alexandre do Jobim indicou meu nome quando soube que haveria espaço para uma cantora", explicou Sílvia Sol por telefone ao VIVER, pouco antes de entrar em estúdio para ensaiar com Alexandre Borges na tarde de ontem - desde domingo (9), a cantora ensaia as quatro músicas com o pianista. "Durante o ensaio de hoje (ontem), saberei exatamente a dinâmica de minha participação: se ficarei todo tempo no palco, se entro apenas na hora das músicas, que momento são esses", informou Sílvia, que irá interpretar duas letras de Vinícius, "Acalanto da rosa" e "Amor em lágrimas", e os fados "Gaivota" e "Meu amor, meu amor". Na capital potiguar, além de subir no palco do TAM hoje à noite, "Poema Bar" também foi apresentado para uma plateia seleta ontem no bar e restaurante Jobim.

Alexandre Borges, 45, participou com destaque do remake da novela TiTiTi (TV Globo) na pele do afetado costureiro Jacques Le Clerc, conversou pelo telefone com a TN durante seu desembarque no aeroporto internacional Augusto Severo, em Parnamirim. Com simpatia, atendeu a reportagem sem intermediários:

É a primeira vez no Brasil, e depois de Natal vocês seguem para o Rio de Janeiro?
Exatamente. Eu o João Vasco (pianista português), mais uma cantora, fizemos duas vezes em Lisboa (Portugal) e estive também em Colônia, na Alemanha. E estamos vindo para o Brasil aproveitar as comemorações em torno dos 98 anos de nascimento do Vinícius de Moraes. Essa passagem por Natal surgiu em julho, quando estivemos por aqui em temporada com "Eu te amo", e fomos naquele bar e restaurante Jobim - onde tem várias fotos da Bossa Nova do Vinícius -, e surgiu a proposta a partir de um papo informal. Tem tudo a ver com o que estamos fazendo, e acabou que deu tudo certo: estamos aqui!

Alexandre, é uma desafio estar sozinho no palco, para a própria versatilidade do artista?
Então, eu procuro fazer esse projeto de uma maneira bem tranquila, relaxada. São dois poetas que admiro muito, sempre li e não tinha planos realmente de fazer, de levar os dois de uma vez para o teatro. Há uma relação pessoal com eles: conheço bem a obra do Fernando Pessoa, já morei em Portugal; também tenho uma ligação com a família do Vinícius, conheço as filhas, a neta dele, Mariana de Moraes, que cantou conosco em Portugal e vai na temporada no Rio de Janeiro. E tem o lado de apresentar o trabalho deles, as pessoas ouvirem poesia. É um tipo de espetáculo onde convidamos a plateia para ler, participar, é bem aberto. Nada muito fechado, eu mudo de poesia, eu troco a ordem dos poemas - depende do lugar, do clima que está rolando. Então temos todas essas possibilidades para saldar a poesia. Apesar dos momento de improviso, temos um fio condutor.

A participação da Sílvia Sol era coisa já pensada. Faz parte do roteiro do espetáculo convidar uma artista local?
Faz parte sim dos planos esse convite. Na verdade, somos um trio que se completa com uma cantora portuguesa. Ela não pôde viajar conosco aqui para Natal, mas virá participar das apresentações no Rio. É importante temos o sotaque português de Portugal cantando os fados. E trabalhar com artistas de onde nos apresentamos dá uma dinâmica nova a cada apresentação.

Você chegou a ensaiar com a Sílvia?
Estou indo ensaiar agora, mas ela já está preparada. Desde domingo (9) ela está ensaiando com o (João) Vasco, e antes também já tinha recebido as canções para ir tendo familiaridade com as canções.

O espetáculo pode ser classificado como um monólogo musicado, um musical...
Não é um monólogo, a poesia declamada dialoga o tempo todo com a música.

O repertório foi escolha sua ou do pianista?
A direção artística toda é minha, mas a idealização é do Vasco.

Algum novo projeto de novela engatilhado? Comédia ou drama?
Há uma proposta para uma próxima novela das oito, do João Emanoel Carneiro. Gosto do humor, da comédia inserida no dia a dia da vida: as frias que as pessoas se metem, os sufocos que você acaba achando graça. Gosto de lidar com situações dramáticas sempre com um toque de comédia.

Fonte: TN

Sei dos teus novos amores  Tudo timtim por timtim;  Dizes, que tal... e que não;  Eu sei, que tal... e que sim.  Sei que déste aos teus...