sexta-feira, 11 de abril de 2014

A BAILARINA MARQUISE BRANCA NO ASSU


Marquise Branca, natural do Juazeiro do Norte, Ceará, era bailarina. Além de ter se envolvido em casos amorosos com figuras abastarda daquela cidade como Fernando Tavares e Ricardo Albano. Isso, salvo engano, nos anos trinta ou quarenta. "Adeus, tu vais partir Deixando a noite em teu lugar, E a minha voz vai colorir O nosso adeus crepuscular. Um lenço branco acenando Querendo a dor sufocar Um sonho bom naufragando Na branca espuma do mar. E eu te direi num queixume Que a felicidade  É sempre  um vago perfume No vesperal da saudade. Interpretava Marquise essa bela canção de Mário Rossi e Roberto Martins, para uma plateia de admiradores. Conta o assuense Nilo Fonseca que aquela bailarina "dançava com uma saia longa saia cortada de cima abaixo, quando dava umas rodadas na dança botava todas as suas belas pernas à vista. O que era muito apreciado pela plateia masculina, que não deixava de ser um feito muito avançado para aquela época. Os comentários em torno daquela artista cearense correu toda a cidade, inclusive as relações amorosas que ela, Marquise, se envolveu  com pessoas da sociedade assuense. Fica o registro.

Fernando Caldas

Nenhum comentário:

Postar um comentário