sábado, 24 de maio de 2014

Cachaça de maconha custa R$ 30 e vira souvenir no sertão de PE

Uma cachaça diferente faz sucesso em Pernambuco – na cidade de Cabrobró, a cachaça artesanal feita com raiz de maconha, a “Pituconha”, é vendida por R$ 30 a garrafa. É possível também comprar uma dose por R$ 1. A garrafa tem 965 ml. “Aguardente de cana adoçada com raiz de maconha. O Ministério do Transporte adverte: o perigo não é um jumento na estrada. O perigo é um burro no volante”, diz o irreverente rótulo.
Um servidor municipal da cidade, que não quis se identificar, contou à reportagem que vende a cachaça nos finais de semana. A bebida é feita com uma pitada de raiz de maconha – depois de operações policiais para erradicar pés de maconha, algumas pessoas coletam as raízes e vendem para produtores de cachaça. Um saco com 30 kg de raízes de maconha com R$ 100.
A Polícia Federal informou que já foi feita perícia na bebida, mas as doses de THC, princípio ativo da maconha, encontradas na cachaça são pequenas. Mesmo assim, os policiais federais estão proibidos de trazer e distribuir as raízes da planta após as operações – ao contrário do resto da planta, as raízes não são incineradas nas operações.
“Se você for levar ao pé da letra, seria crime (vender a bebida com raíz maconha) porque tem o princípio ativo. Só que a concentração é baixíssima. É uma questão que ainda não se tem uma posição definida”, diz Carlo Correia, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal em Pernambuco. O delegado diz ainda que a quantidade de THC que é considerada crime não é determinada pela lei. “A questão é de ordem prática: a concentração é muito pequena. Não existe uma repressão sistematizada até hoje”, acrescenta. (Folha)
Do bog de Robson Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário