quinta-feira, 3 de julho de 2014

PÁGINA ASSUENSE:

JOÃO BATISTA DE SENA
JOÃO BATISTA DE SENA - nasceu em Assu, no dia 18 de dezembro de 1957. Filho de Manuel Severino de Sena (in-memoriam) e de Auta de Souza. O poeta Sena - como é mais conhecido, é Agente de Serviços Elétricos da COSERN. Participou dos livros Vertente Poética (1985) e Vertentes (2002). 

DISCRETO

Atendendo as ansiedades da minha existência,
Espreito na tangencia minúscula de um retângulo
Um pequeno vulto, sem ter uma consistência
De provar ser vida, a morte de um sonâmbulo.

Dos males seculares que causaram meu espanto
A consciência insensata descobriu-me olhando
E fez nascer um sonho tão intenso, quanto
A força de um punhal no meu olhar entrando.

Patético! Um homem ri da própria sorte
Em silêncio, e qual um preso ante a morte
Degusta a aquiescência da vida no degredo.

Não serei o mesmo quando a sombra aparecer.
Sentir mágoas do tempo, é mais do que viver,
Ah! Se eu pudesse levar para campa este segredo!
 
Fonte: Vertentes/2002 - Coleção assuense.
 
Do bo Assu na ponta da língua, de Ivan Pinheiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário