segunda-feira, 14 de julho de 2014

RESPONSABILIDADE SOCIAL DENTRO E FORA DO CAMPO

Publicado em Ambiente Legal Justiça e Política*

 A lição de civilidade e sustentabilidade da seleção alemã foi a grande goleada na Copa do Mundo


Imprensa em frente ao centro de treinamento alemão na Bahia.
Imprensa em frente ao centro de treinamento alemão na Bahia.

Por Antonio Fernando Pinheiro Pedro
A seleção alemã promoveu a mais terrível goleada  da história numa semifinal de Copa do Mundo,  jamais sofrida pela seleção brasileira em toda sua existência.
No entanto, a incrível seleção alemã goleou, também fora de campo, todas as demais seleções, a FIFA e o governo do Brasil.
RESPONSABILIDADE SOCIAL
Podolski e os pataxós
Podolski e os pataxós
Como já havia feito antes, na Copa 2010, na África do Sul e na Eurocopa, na Polônia e na Ucrânia, a Federação Alemã de Futebol (DFB, na sigla original) promoveu ações sociais beneficiando a comunidade local onde se hospedou.
A atitude, de pura responsabilidade social, constitui uma retribuição, um agradecimento pela hospitalidade. Assim foi o que sucedeu na Bahia, local escolhido pelos alemães, para centro de treinamento durante a Copa 2014.
Em agradecimento à recepção e hospitalidade dos brasileiros, a DFB,  doou 10 mil euros para a aldeia Pataxó em Santa Cruz de Cabrália, que o time visitou no dia seguinte à sua chegada ao Brasil.
A delegação e jogadores alemães, também visitaram uma escola municipal local, onde brincaram e interagiram com as crianças. Note-se que a DFB  já  vinha auxiliando financeiramente a escola, através do projeto “Sonhos de Crianças”.
Não contente com o apoio institucional já proporcionado, a delegação alemã já anunciou, por meio de sua assessoria de imprensa, novos investimentos no local, a compra de mobiliário e a reforma do único campo de futebol do lugar – que deverá ter o mesmo padrão “Copa” do campo utilizado no centro de treinamento montado na região para a seleção germânica.
RESPEITO AO MEIO AMBIENTE
O complexo, batizado de Campo Bahia, possui 15 mil metros quadrados. Conta com 14 casas coletivas, de dois andares, com vista para o mar, 65 quartos, área de convivência e piscina de 700 metros quadrados, salões para confraternização, restaurante e uma cozinha aberta, de frente para a praia.
O empreendimento foi licenciado pela Secretaria de Meio Ambiente da Bahia, e atendeu a várias prescrições do órgão ambiental de Santa Cruz de Cabrália, dentre as quais ,que as construções não superassem a altura dos coqueiros e que as árvores cortadas fossem replantadas em outro local, por se tratar de área de vegetação nativa.
A licença ambiental foi demorada, embora pedida com antecedência e foi concedida, finalmente, em fevereiro de 2014. As obras duraram 5 meses.
O suporte fornecido pelos alemães à comunidade local , como contrapartida ao empreendimento, incluiu o apoio à gestão de resíduos sólidos, suprimento de água potável e tecnologia da informação para o desenvolvimento das escolas da região.
PLANEJAMENTO  ECONÔMICO 
O centro de treinamento construído pela federação alemã, ocorreu em parceria com o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais,  numa ação conjunta da representação dessa associação no Brasil (presidida por João Dória Jr.) e LIDE ALEMANHA, liderada por Stefan Gast.
Após a Copa, a estrutura abrigará um resort de luxo e uma escola internacional de hotelaria.
Centro de treinamento da seleção alemã, em Santo André, litoral baiano.
Centro de treinamento da seleção alemã, em Santo André, litoral baiano.
O apoio àquela região, adveio de uma decisão estratégica, relacionada à falta de qualidade da estrutura de apoio existente no nordeste às fortes seleções da Copa. Descontente com o padrão dos  hotéis nas cidades sedes dos jogos de sua seleção, na primeira fase da Copa (no Nordeste brasileiro), a DFB decidiu construir seu próprio centro de treinamento, na Ilha de Santo André, ao Norte de Cabrália, no litoral baiano.
O objetivo dos alemães, com a  construção do centro, foi manter a privacidade e harmonia do grupo, minimizar os efeitos dos deslocamentos entre os jogos e atender todas as necessidades dos jogadores e comissão técnica da seleção.
De fato, a Ilha de Santo André, há anos é tida como um recanto dos mais atraentes e discretos do sul da Bahia. Sua extensa praia  abrange piscinas naturais que servem de refúgio a cetáceos e tartarugas marinhas.  Há antigas sedes de fazendas de cacau e pousadas sofisticadas. Um local escolhido para refúgio e descanso de altos executivos e turistas descolados. A decisão estratégica dos alemães não poderia ter sido, portanto, mais acertada.
Com isso, os alemães reuniram, planejamento, conforto, ambientação e rentabilidade do investimento.
POPULARIDADE E IDENTIDADE
Desde o primeiro dia de sua chegada na Bahia, a empatia entre a delegação alemã e os habitantes do povoado tornou-se evidente e, conhecida como uma das grandes histórias desta Copa do Mundo.
Seleção alemã em visita à uma escola municipal do vilarejo de Santo André.
Seleção alemã em visita à uma escola municipal do vilarejo de Santo André.
Conforme noticiado pelo portal R7: “Todos os jogadores, sem exceção, “caíram no samba”: Podolski postou fotos ao lado dos torcedores locais; Klose comemorou o seu aniversário de 36 anos dançando junto com índios pataxós; Özil se aventurou na capoeira; Neuer e Schweinsteiger vestiram a camisa do Bahia, pularam e entoaram cânticos do clube .”
Mesmo após infligir o maior vexame à nossa seleção, os alemães, sem hipocrisia, deram prova de grandeza e espírito esportivo, refletida na postagem de um de seus principais jogadores, Podolski, nas redes sociais:
“Respeite a AMARELINHA com sua história e tradição. O mundo do futebol deve muito ao futebol brasileiro, que é e sempre será o país do futebol. A vitória é consequência do trabalho, viemos determinados, todos nós crescemos vendo o Brasil jogar, nossos herois que nos inspiraram são todos daqui. Brigas nas ruas, confusões, protestos não irão resolver ou mudar nada, quando a Copa acabar e nós formos embora, tudo voltará ao normal então muita paz e amor para esse povo maravilhoso, um povo humilde, batalhador e honesto um país que eu aprendi a amar”.
Agradecida e satisfeita com interação diária com os moradores do local, a delegação alemã despediu-se com festa, e, simbolicamente, já ganhou o troféu da Seleção- Padrão de Sustentabilidade da  Copa do Mundo de  2014.
Fontes:
http://www.valor.com.br/empresas/3611222/alemaes-doam-10-mil-euros-indios-na-bahia-e-ganham-festa http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/alemanha-desaprova-hoteis-e-decide-erguer-casa-na-bahia
http://esportes.r7.com/futebol/copa-do-mundo-2014/jogando-em-casa-favorita-alemanha-encara-a-selecao-de-portugal-na-bahia-16062014
http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/selecao-da-alemanha-doa-10-mil-euros-para-indios-pataxos/?cHash=b5b8f3cb48f24ec6d39a828a7abf2765
http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,copa-do-mundo,centro-de-treinamento-paradisiaco-esta-pronto-para-receber-alemanha,1507099
http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,685514,Centro_de_treinamento_da_selecao_alema_no_Brasil_tem_o_apoio_do_Lide_e_Lide_Alemanha,685514,8.htm http://www.diariodocentrodomundo.com.br/nossos-herois-sao-todos-daqui-a-grandeza-dos-alemaes-na-vitoria-acachapante-sobre-o-brasil/

- See more at: http://www.ambientelegal.com.br/responsabilidade-social-dentro-e-fora-do-campo/#sthash.8IWJb8BV.dpuf

Nenhum comentário:

Postar um comentário