segunda-feira, 18 de agosto de 2014

GLOSAS DE JOÃO DE PAPAI

O poeta glosador João Evangelista Soares de Macedo deixou muitos versos espalhados
pelos antigos botequins do Assu e por onde passava. Recebi de presente um caderno contendo 21 poesias do fabuloso poeta “João de Papai”. Vejam duas destas glosas.

NA CRUZ PREGADO MORREU
O DIVINO REDENTOR.
A ninguém ele ofendeu
Para ser crucificado
Somente pelo pecado
Na cruz pregado morreu.
Todo seu sangue ele deu
Pra remir ao pecador
Passou pela grande dor
De ser pregado na cruz
Para dá ao mundo luz
O divino redentor.

            __*__


LOUCURAS DA MOCIDADE
SÃO OS TROFÉUS DA VELHICE.
Mesmo na realidade
A vida é uma ilusão
Recorda o velho ancião
Loucuras da mocidade
Implorando a caridade
Já chegando à caduquice
Sem carinho e sem meiguice
Já cansado de sofrer
Só esperando morrer
São os troféus da velhice.

Fotos Ilustrativas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário