sábado, 8 de novembro de 2014

"QUANDO A POLÍTICA VALE A PENA"

Desta simples plaquete (imagem abaixo), de 1996,  transcrevo a seguinte estória: Conta-se que certo candidato a prefeito de Grossos, interior do Rio grande do Norte, que não sabia falar de improviso, preparou um discurso para ser lido na praça pública daquele município potiguar. Se aproximando o comício, o candidato saiu da sua casa com destino a concentração popular com a sua oração prontinha, digitalizada no papel que teria colocado um pouco visível, no bolço traseiro da sua calça. Antes porém, de subir no palanque, certo eleitor espertinho, achando que fosse dinheiro, deu o golpe. Na hora da sua fala, povão na praça, microfone em punho, o candidato começou a falar: "Meus conterrâneos!" E procurava o papel nos bolsos da sua calça e camisa, sem encontrar! "Meus amigos de Grossos!" E nada de encontrar a sua oração escrita! Já aflito, o candidato  esbravejou: "Que povinho ladrão!".

Em tempo: Essa estória não tem o objetivo de denegrir, difamar a imagem do povo honesto e hospitaleiro de Grossos. Tem apenas o sentido humorístico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário