segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A COLEÇÃO DE BIBELÔS
 
*Maria Eugênia Maceira Montenegro.
 
MARIA ANGÉLICA era uma jovem encantadora: meiga, sex, inteligente. No apogeu da mocidade, queria aproveitar a vida, o máximo, cada minuto, cada segundo. Sua vida era uma roda viva de passeios, boates, esportes. Tinha uma legião de fãs e, volúvel e inconsequente, trocava de namorado como se troca de roupa.

Estava com a mania de colecionar cachorrinhos de louça. Cada namorado que arranjava, comprava um bibelô e punha-lhe o nome. A vitrina do seu quarto de moça estava cheia deles, de todas as raças. Ali se viam lulus, bassets, dálmatas, cocker speniel, pequinês, cão fila, buldogue e outros. O último da coleção era um vira-latas.

As amigas gozavam:

- Como vai a coleção, Maria Angélica? Já vacinou os bichinhos?

- Não me descuido deles e a coleção, como vêem, cada vez aumenta mais. - disse a sorrir.

Com o passar dos dias Maria Angélica se casou com um rico empresário, machista a valer. 

Quando viu a coleção da mulher, admirado, perguntou:

- Como arranjaste tantos bibelôs, Maria Angélica? Como são bonitinhos.

Ela, ingenuamente, respondeu:

- Fui comprando. Ganhei muitos também. Cada um tem o nome de um dos meus ex-namorados, disse com graça e sedução.

- Tudo isto? - E usando uma expressão grosseira - Ah, minha querida, eu não sabia que tinha me casado com uma cachorra...

- Admirado? - retrucou Maria Angélica no mesmo tom - Pois veja ali aquele vira-lata. Foi com ele que me casei.

Lógico que o casamento foi um fracasso.

* Imortal da Academia Norte-rio-grandense de Letras.
 
 http://assunapontadalingua.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário