segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

CONTO:

A OUTRA

Maria das Virgens era mais doida do que pedra de funda. Vivia proclamando aos quatro ventos que jamais se casaria. preferia ser "A Outra" e espalhar lágrimas ao redor.

Seu último caso de amor foi com o marido de Das Dores, aquela que colecionava vidrinhos de lágrimas.

Após longos meses de união extra conjugal, João disse à amante:

- Maria das Virgens, tenho algo a lhe dizer.

- O que? Que fala de mistério!

- É isto. Quero lhe comunicar que o nosso caso de amor chegou ao fim...

- O que?! Vai me abandonar?

- Cansei, querida, mas "enquanto durou foi bom". Não desejo contrariar mais Das Dores. Ela já derramou lágrimas demais por mim. Não quero mais magoá-la.

- E eu?

- Se vire. Não lhe faltarão amantes com essa fogueira de seu corpo. Aprendi demais com você e cheguei a conclusão de que a meiguice e a doçura valem mais numa mulher, do que a volúpia vertiginosa do sexo...

- Está certo, mas eu já me vinguei por Das Dores. Diga a ela, que quando lhe acariciar, que passe as mãos em sua testa, e veja quantos chifres lhe botei... Tá?
*-*
Autora: Maria Eugênia Maceira Montenegro 
(*07/12/1915 - +29/04/2006 - aos 90 anos de idade). Natural de Lavras/MG. 
Cidadã assuense e Ipanguaçuense. Imortal da Academia Norte-rio-grandense de Letras. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário