sábado, 7 de fevereiro de 2015

CARTAS PARA FAUSTA

LITERATURA:

 
Quando pensamos em publicar Cartas Para Fausta, nos preocupamos (Ivan Pinheiro e Gilvan Lopes - organizadores do livro) por se tratar de documentos pessoais, alguns até sigilosos,  que narram a vida privada e levam ao proscênio, parte da história do casal Renato e Fausta. Somente após entrarmos em contato com a família é que decidimos selecioná-las para esta publicação. 

Cartas Para Fausta, tem no seu corpo uma verdadeira e ardente paixão do poeta por sua noiva (Compromisso que durou doze anos, do namoro às núpcias). Época em que ainda se mantinha as serestas, as declarações de amor... Tempo em que o romantismo e o respeito eram pré requisitos para as pessoas que almejavam,  no futuro, uma relação conjugal com capacidade de cultivar o mais sublime sentimento humano, o amor. Tem a inspiração poética, que somente um homem dedicado e apaixonado por uma mulher poderia transmitir.
Fausta da Fonsêca Nobre, foi a musa inspiradora do poeta Renato Caldas (foto acima). Foi sua “fulô do Mato”, seu “Intusiasmo”,  sua “Hirisia”, seu “Juramento”, sua “Cunfissão”. Foi seu “Oiá Pidão”, seu  “Munturo”...  foi “A Muié e o Amô”.
Dona Fausta, como era carinhosamente chamada, foi uma mulher de fibra, compreensiva e de personalidade forte. Uma mulher que demonstrava satisfação pela sua condição de esposa de poeta, portanto, capaz de perdoar, na sua juventude, as peripécias da boemia do seu eterno e único companheiro.
Dona Fausta foi digna deste imenso amor.
                                                       Ivan Pinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário