sexta-feira, 20 de março de 2015

Saudade é o meu nome

De:
clenio.caldas@gmail.com 

Filólogos informam que o termo “saudade” não existe e nenhum outro idioma, além do nosso, o português. Isso, claro, não significa que ninguém, além do brasileiro, sente saudades, mas, que outros não dispõem de uma exata palavra para exprimir esse sentimento. Mas, o que é saudade? Lendo o artigo anexo, encontrará uma definição simples e objetiva. Aquela pessoa que há tempos não vemos. Aquele familiar que já passou para a eternidade. Aquele amigo que um dia foi amigo. Aquele ou aquela colega de escola que há tempos não vemos. Enfim, saudade muitas vezes dói e como. É quando também encontramos oportunidade de repensar valores.

Que valor atribuímos a pessoas que verdadeiramente amamos? Ou, simplesmente gostamos ou apreciamos? Quanto vale ser fiel a uma amizade? Se depender de nós, aquele amigo, familiar, parente, colega, etc. pode ficar descansado porque fazemos valer nosso sentimento? Podemos esperar receber de volta o quanto consideramos outrem? Uma prova cabal de quanto aquela outra pessoa realmente nos faz falta é quando, nos momentos em que estamos separados, por pouco ou muito tempo, sentimos sua falta, sentimos saudades.

E quanto a Deus, como fica nesse caso? Chegamos a sentir Sua falta quando estamos longe Dele? Buscamos Sua presença pela prece, pela oração? A ausência de Jesus em nossa vida, nosso lar, nosso coração, faz-nos sentir saudades Dele? Principalmente naqueles momentos de turbulência, conflitos, inquietação? A quem podemos recorrer certos de que nos ouve, nos aconselha, nos acalma o coração? Absolutamente certo é que a presença do Senhor jamais nos faltará se a Ele recorrermos. E ele, certamente, nunca se afastará de nós, por Sua vontade. É hora de repensar valores em nossa vida. Não deixe para amanhã.

Aproveite o final de semana que vem chegando e pare para repensar valores em sua vida. Tanto em seu próprio lar com seus amados familiares, como para com as pessoas que lhe cercam com amizade. Faça a “prova da saudade”, imaginando-se longe de quem tanto representa para sua vida. Seus valores certamente serão reanalisados e, eventualmente corrigidos. E seu final de semana será muito gratificante e recompensador.

Clênio Falcão Lins Caldas


Outro dia, numa festa de família, me peguei observando todos à minha volta. Vi meus primos jogando vídeo game, meus tios conversando sobre o trabalho, minha mãe na cozinha procurando o prato que combina com os talheres e com a toalha, meu pai tirando um cochilo no sofá enquanto a comida não está pronta, meus irmãos brigando para ver quem é melhor, minha avó dizendo emocionada o quanto ela quer ver os netinhos se formarem e casarem, e finalmente... Meu avô passando de pessoa em pessoa perguntando quem quer um copo de suco ou outro prato de comida. Exibindo seus netos para as visitas como prêmios. - ‘’ Olha minha neta que linda! Ela tirou 10 no projeto da escola! Olha aquele então, fez dois gols no campeonato de futebol’’.

Foi estranho. Eu nunca tinha parado para pensar na minha própria família, na minha própria vida.
De repente imaginei como seria aquela sala vazia. Sem os gritos dos meus primos, sem minha mãe pedindo ajuda, sem meus avós orgulhosos de serem os criadores daquilo tudo. Senti até saudade dos meus irmãos dizendo que eu sou a pior irmã do mundo. Estranho nós só pensarmos nessas coisas quando algo nos ameaça. Pode ser uma dor, um amor, ou qualquer coisa que te faça ver que toda aquela cena que você está presenciando não é para sempre.  As pessoas que estão nela vão embora.

Sua mãe... Aquela que chega do trabalho cansada, mas que sempre trabalha mais por você e seus irmãos. A mesma que acorda de madrugada com um sorriso no rosto para cuidar de você. Aquela que se esquece dos próprios problemas para cuidar dos nossos, e consegue dinheiro para gastar com a gente. Ela não vai estar aqui para sempre. Seu pai... Aquele que te ensinou a andar de bicicleta, que te levou no cangote até não aguentar mais, que deixou você se sujar de sorvete e depois rolar na grama. O mesmo que te mostrou a importância da honestidade. Também não vai estar aqui para sempre. Tem os irmãos. Mesmo que ninguém queira admitir, todos sentirão saudades. Saudades das brigas, das brincadeiras, das companhias na hora do tédio, da única salvação naquela viagem chata, dos segredos, da cumplicidade, e por que não do verdadeiro amor que existe entre todos os irmãos do mundo?

Eu já ouvi em algum lugar que para saber o valor das pessoas é preciso pensar em perdê-las. Pois é, eu nem tive tempo de pensar nisso. Quando eu vi já tinha acontecido. A pessoa que eu mais amava no mundo, e descobri isso da pior maneira possível, estava num lugar que nunca o tinha imaginado. Meu avô, aquele senhor ativo e sorridente que você cruzava na rua. Sabe aquele que estava disposto a ajudar? Ia buscar pão para família, fazia almoços de domingo e sempre abria mão do dele para a felicidade de toda a família? Pois é, ele se foi de uma forma breve, rápida. Tenho fotos recentes dele, lembro claramente de quantas vezes ele dizia que ia me levar ao altar. Você acha que sabe o que é a saudade? Já vou logo lhe avisando que saudade não é um amigo que mora longe, não é uma amizade destruída e muito menos um lugar que não voltamos faz tempo. Saudade é literalmente querer abraçar e não conseguir, querer ouvir a voz novamente e não poder. É ter a total convicção que aquela pessoa você nunca mais, eu disse nunca mais mesmo, vai entrar pela porta da sua casa com um sorriso no rosto e falar: - ‘Olha quem está aí!’

Saudade é saber que você não pode mais olhar para ele e dizer o quanto sente muito, sente o suficiente para não ter nem mais forças para chorar. É saber que talvez vocês nem se encontrem mais. Por isso, não banalize a saudade. É uma palavra que só pode ser utilizada em casos extremos. Um deles é esse. Espero poder continuar por muito mais tempo pensando nas pessoas que me rodeiam, e o principal, mostrando-as de alguma forma o quanto são importantes. Sei que de algum jeito meu avô está na sala com a gente observando, assim como eu, as pessoas mais essenciais de nossas vidas. Observe você também...

Fernanda Webe

E pela sua oração por vós, tendo de vós saudades, por causa da excelente graça de Deus que em vós há. (2 Coríntios 9:14)
Deus é minha testemunha de como tenho saudade de todos vocês, com a profunda afeição de Cristo Jesus. (Filipenses 1:8)





Nenhum comentário:

Postar um comentário