domingo, 3 de maio de 2015

MOYSÉS SESYOM, POETA DO ASSU NO FILME", O HOMEM QUE DESAFIOU O DIABO"




Moysés Sesyom (1883-1932) era natural de Caicó/RN, porém se fez poeta na cidade de Assu/RN onde está enterrado.Seus versos populares/fesceninos estão espalhados país a fora. Ele está colocado em várias antologias dos poetas potiguares, está conhecido como "O Bocage Norteriograndense".

"Poeta querido, de vida atribulada, de existência dura, de morte cruel. Vezes, horas e horas ouvi recitar versos de Sesiom, recordando a boemia, vivendo o anedotário, rico de episódios chistosos", depõe Câmara Cascudo.

Sesyom imortalizou-se no filme intitulado "O Homem Que Desafiou o Diabo", 2007, baseado no romance intitulado de "As pelejas de Ojuara", do escritor potiguar Ney Leandro de Castro. O referenciado romance conta a história de Zé Araujo (Marcos Palmeira), um cacheiro viajante que foi obrigado a casar com uma filha de um proprietário de uma mercearia e trabalhar com o sogro, por quem foi muito humilhado. Zé ao chegar num certo bar da cidade conheceu  no balcão daquele botequim um senhor cujo nome é Sesyom. Aí, Zé fica sabendo por intermédio dele, o poeta boêmio, que Sesyom é Moysés ao contrário. Logo teve a ideia de inverter o seu nome passando a se chamar de Ojuara (Araujo ao contrário).

No vídeo acima podemos conferir o personagem Sesyom (o poeta), declamar para Zé Araújo (Ojuara), os versos (glosa) conforme transcritos adiante:

Vida longa não alcanço
Na orgia ou no prazer,
Mas, enquanto eu não morrer,
Bebo, fumo, jogo e danço!
Brinco, farreio, não canso,
Me censure quem quizer!
Enquanto eu vida tiver,
Cumprindo essa sina venho,
E, além dos vícios que tenho,
Sou perdido por mulher!

Fernando Caldas

Nenhum comentário:

Postar um comentário