segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Academia Assuense de Letras parabeniza a UERN pelos seus 47 anos

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) completa 47 anos nesta segunda-feira (28), como parte da programação a Universidade reuniu representantes de academias e instituições culturais de Mossoró e das regiões Oeste e Vale do Açu sexta-feira (25). Na oportunidade, foi assinado um termo de cooperação técnica para realização de ações conjuntas.

“A intenção é abrir as portas da UERN para as academias e instituições culturais contarem com o apoio de nossa Universidade”, afirmou o Reitor Pedro Fernandes, ressaltando a importância de manter esse diálogo com as instituições.

Estiveram presentes os representantes da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró( ACSUS), Academia Maçônica de Letras (AMLERN), Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense (AFLAM), Instituto Cultural do Oeste Potiguar (ICOP), Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço(SBEC), Museu do Sertão, Academia Assuense de Letras (AAL), Associação dos Escritores Mossoroense (ASCRIM), Academia Patuense de Letras e Academia de Letras e Artes de Martins.

Reconhecendo que a UERN vence o tempo e se torna cada vez mais permanente, através da constante busca em melhorar o ensino, a pesquisa e a sua atuação social, a Academia Assuense de Letras parabeniza a instituição nos seus 47 anos.

Academia Assuense de Letras à UERN

O município do Assu detém na história, uma rica tradição cultural, sobremodo na poesia e no jornalismo, a ponto de ser qualificado de “Terra dos Poetas” e “Atenas Norte-Rio-Grandense”, graças a um passado digno de ser conservado e memorizado.

Em sua história de feitos gloriosos, Assu é a primeira cidade potiguar a abrir e manter uma biblioteca, ainda no século XIX, e também a fundar um jornal, “O ASSUENSE”, em 1867, além de gestos de patriotismo e de heroísmo de seus filhos, de forma que podemos citar entre outros: Luís Carlos Lins Wanderley, primeiro médico norte-riograndense e autor do primeiro romance potiguar “Mistérios de um Homem Rico”, Elias Souto, fundador da imprensa diária no Estado e Irmã Lindalva Justo de Oliveira, beatificada recentemente pela Igreja Católica.

A Academia Assuense de Letras, criada no dia 23 de janeiro e instalada no dia 30 de julho do corrente ano, surgiu com a finalidade principal do cultivo, da preservação e da divulgação do vernáculo, da literatura, da história e da atividade cultural em seus múltiplos aspectos: científico, histórico, artístico e literário, podendo participar de iniciativas úteis ao desenvolvimento cultural do município do Assu, do Estado do Rio Grande do Norte e do Brasil.

Nesse pequeno tempo de nossa criação e instalação seguimos firme no propósito de vencer os novos desafios e com o dever de identificar o que torna a Academia Assuense de Letras grande e intemporal.

Porém, muito antes da Academia Assuense de Letras surgiu em nossa terra o Campus da UERN e quando da solenidade de instalação da FURRN, em Assu, atual campus Avançado Prefeito Walter de Sá leitão - UERN, evento ocorrido no dia 16 de outubro de 1974, foi escolhida para proferir o discurso de saudação a poetisa e escritora, imortal da Academia Norte-rio-grandense de Letras e uma das patronas da Academia Assuense de Letras, a saudosa Maria Eugênia Maceira Montenegro. Na oportunidade ela disse:

“A história do Assu está impregnada de idealismo, de amor à terra, da coragem e, muitas vezes, do sangue derramado dos seus heróis”. 

E agradeceu o feito nos seguintes termos:

“.... Ficará, portanto, o Assu eternamente grato à Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte ao seu digno Presidente, Francisco Canindé Queiroz e Silva e colaboradores de Mossoró, pela criação do Campus Avançado do Assu...”.

Certamente que os idealizadores ao criarem essa universidade, no ano de 1968, não imaginavam que antes de meio século essa instituição alcançasse um patamar tão destacado no pódio do ensino-aprendizagem potiguar.

No decorrer da sua história, a UERN passou por administrações transformadoras, sempre voltadas para a sua expansão além das fronteiras da sede administrativa na cidade de Mossoró. Não tiveram receio ao içar voos, razões pelas quais, hoje se faz presente em todas as regiões territoriais do Rio Grande do Norte.

Assim, por todos os sentidos e em muitos aspectos, não se pode negar a importância na UERN no viver das pessoas e da educação do Rio Grande do Norte.

É verdade que essas conquistas não foram privilégios isolados dos seus reitores. Os professores e o quadro administrativo, reconhecidamente dedicados, foram e são peças inquestionáveis nos seus 47 anos.

Temos conhecimento bem próximo das inúmeras dificuldades que as gestões da UERN tem enfrentado para manter o nível de excelência dessa universidade. Por esta razão, neste momento, hipotecamos nosso apoio à reitoria, professores Pedro Fernandes e Aldo Gondim, que trava uma verdadeira luta para ver a UERN uma Universidade viva em todos os sentidos.

O padre Antônio Vieira, num de seus inspirados momentos, disse que: “A boa educação é moeda de ouro. Em toda a parte tem valor”.

Portanto, no intuito de absorver essa riqueza educacional e cultural que a UERN nos propõe, agradecemos a parceria dessa conceituada Instituição com a Academia Assuense de Letras, momento em que nos comprometemos em contribuir com a singularidade desta instituição. E, para finalizar, pedir ao Governo e ao Rio Grande do Norte que olhem para a UERN, vejam o quanto ela é grande e o quanto ela dignifica a educação e a cultura do povo potiguar.

Parabéns a toda FAMÍLIA UERN pelos seus 47 anos.

Academia Assuense de Letras

De:  http://www.alderidantas.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário