quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SOBRE MADRE CRISTINA, EX-DIRETORA DO EDUCANDÁRIO NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS

MADRE CRISTINAWLASTNICK

Poucas vezes temos assistido uma manifestação de apreço, tão espontânea, tão sincera, quanto esta que, as alunas do Educandário N. S. das Vitórias, prestaram à Madre Cristina Wlastnick, ex-diretôra deste estabelecimento, no dia de sua partida para Caicó, em obediência às determinações da Madre Geral da Congregação das Filhas do Amor Divino.

Impossível, nos estreitos limites de uma notícia de jornal, dizer o que foi esta demonstração de estima e de gratidão à abnegada religiosa, que por mais de 20 anos, dirigiu este modelar estabelecimento de educação e ensino, com inexcedível dedicação e paternal carinho.

Realmente, Madre Cristina Wlastnick, é preciso que se repita sempre, foi dentro do “Educandário N. S. das Vitórias, uma mãe carinhosa que as centenas dirigiu as suas alunas, merecendo a confiança especial das famílias assuenses e os aplausos de toda população.

Amável, dedicada, tendo sempre um riso acolhedor e carinhoso para todos, Madre Cristina Wlastnick, deixa em nossa terra, fundas saudades – fruto do seu esforço e de sua dedicação, em cooperar conosco, para o desenvolvimento intelectual e moral da mocidade assuense.

Por ocasião da solene despedida, falou em nome do povo assuense, o jornalista Francisco Amorim e em nome das alunas do “Educandário Nossa Senhora das Vitórias”, a senhorita Terezinha Leitão, cujas palavras foram proferidas, entrecortadas de soluços.

Para fielmente descrever a emoção do momento, teríamos de alongar esta nota, feita já a última hora.

Limitando-nos a este ligeiro registro, na primeira página de “ATUALIDADE”, como justa homenagem ao autêntico valor de Madre Cristina Wlastnick, ex-diretôra do “Educandário Nossa Senhora das Vitórias”, que, com amor, desprendimento e abnegação, somente próprios nos espíritos crentes e iluminados pela graça da fé, vinha dirigindo este nosso importante estabelecimento educacional, que constitui um dos motivos de que se pode orgulhar a nossa querida terra, temos, assim, expressado a nossa admiração e, tornada público o reconhecimento do povo assuense


De: Jornal Atualidade, de Assu, edição de 19 de Março de 1950.


Nenhum comentário:

Postar um comentário