sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

CORAÇÂO
É o coração pequeno apartamento,
Que costuma viver sempre alugado,
Parque que tem como divertimento
Dar alegria e ficar fechado.
É porta-voz que vive sempre atento,
Transmitindo notícias aos ouvintes;
Fortificante que oferece alento
aos mais pobres como aos de mais requintes.
É um frágil barquinho que navega
No mar das ilusões e só carrega,
No vão do bôjo, as lágrimas e a dor.
Passarinho que está sempre a cantar,
É o sol risonho que volta a brilhar,
Forte cadeia que acorrenta o amor.
Walma de Azevedo Dantas, poetisa potiguar de Caicó

Nenhum comentário:

Postar um comentário