sábado, 29 de abril de 2017

BAR DE XIMENES


O Bar Ximenes era instalado entre a praça Pedro Velho e do Rosário, na cidade de Assu, esquina com a prefeitura, antiga Cadeia Pública, onde funcionou durante décadas, a Farmácia São Pedro. Era um recinto aristocrático e popular. Oferecia jogo de bilhar e cartas (baralho). Lá se reuniam figuras da terra assuense, para tomar "umas e outras" e uma boa prosa. Era seus frequentadores assíduos Walter Leitão, Major Montenegro, Nelson e Edgard Montenegro, Fernando Tavares (Vem-Vem), Francisco Amorim, Solon Wanderley, Zequinha Pinheiro, Tio Alfredo (que está nesta fotografia), além de Ricardo Albano, Lauro Leite, Epifânio Barbosa, Expedito Silveira, Edmilson e Luizinho Caldas, Renato Caldas, Zé Ramalho, dentre outros. O popular "Bonzinho" Marreiro (doente mental) também frequentava aquele ambiente, para fazer mandados. Certa vez, Bonzinho fora solicitado por Walter Leitão para que ele, Bonzinho, fosse até a praça Getúlio Vargas, para ver se ele, Walter, se encontrava por lá. Bonzinho de repente soltou essa: "Seu Walter. Me dê o cabresto porque se o senhor estiver por lá, eu trago!" - Para risos dos circunstantes. 
 
Outra estória que aconteceu naquele bar, se deu com Lauro Leite que ao ouvir alguém dizer "Deus é muito bom". E Lauro saiu-se com essa se auto diagnosticando: "Deus é bom nada meu amigo! Tira a tesão da gente, mas não tira a lembrança!"
 
Em tempo: Lauro Leite era mossoroense, trabalhava em Assu com o abastardo comerciante e proprietário rural Zequinha Pinheiro e, quando jovem ajudou a combater o bando de Lampião no ataque a Mossoró.

Fernando Caldas

Nenhum comentário:

Postar um comentário