terça-feira, 31 de julho de 2018

Diário-Novenário Vespertino do Assu "A MUTUCA". Anno I. Assu, 18 de junho de 1918.
Completou, nesse ano de 2018, 100 anos do quinto número da edição do "A MUTUCA". Adiante, uma notícia da festa de junho daquele ano:
A FESTA SAN JOANESCA
Continuam bem animadas as festas ao nosso glorioso Padroeiro São João Baptista. Hontem (5 noite) dos negociantes foi de realce, havendo uma estrondosa salva de foguetões, fogos de vista e um leilão em benefícios dos serviços que vão ser iniciados na Igreja do Rosário.

Pedro Otávio Oliveira
*Mote*
*No banquete infeliz da desventura,*
*Sinto a fome do amor que se desfez.*
*Glosa*
Nossa vida era só felicidade
O amor para nós sempre sorria
Nossos dias eram sempre de alegria
O amor era de cumplicidade
Mas, um dia a inveja por maldade
Acabou nossa vida de uma vez
No orgulho da minha insensatez
Promovi uma festa de loucura
*No banquete infeliz da desventura*
*Sinto a fome do amor que se desfez.**
Dedé de Dedeca.
Das primeiras linhas de uma glosa de Heliodoro Morais, criei o mote e fiz esta glosa./

Do blog: Dedé de Dedeca é o apelido de Lindomar paiva que foi funcionário do Banco do Brasil de Assu).

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Pequeno, feio, antipático, chato, besta, prepotente, arrogante. Tudo isso já se disse de mim. Agora, de ladrão ninguém nunca me chamou.

Geraldo Melo, pré candidato a senador - PSDB

Usaram seu cartão? O banco poderia ter evitado essa dor de cabeça


João Antônio Motta
30/07/2018 04h00

Não é de hoje que as pessoas em geral se veem às voltas com o problema de débitos indevidos, seja por clonagem de cartões, seja por fraude em contas correntes, seja por qualquer artimanha da bandidagem.
Há anos tenho um cartão de crédito de certo banco internacional, desde quando "gold" era o fino da bossa, e quando o "fino da bossa" era uma expressão usual (pode-se ver que faz tempo). Se é feita qualquer operação fora de meu perfil de compras ou débitos, o cartão simplesmente é bloqueado. Imediatamente, a central de relacionamento me envia mensagens de texto por todos os canais possíveis e imagináveis, manda e-mail e ainda liga para os telefones residencial, comercial e celular.
É chato, muito chato. Mas nunca, em momento algum, tive qualquer problema com débitos indevidos neste cartão, ao qual devoto uma fidelidade canina.
Pois bem, este tipo de cerco à fraude não é nenhum caso de outro mundo a ser desvendado e, a bem da verdade, é decorrente de um sistema de interação banco/cliente muito comum. O banco,  por meio de programas de computador, diariamente varre sua vida, verifica o que você compra, onde compra e como compra.
A imagem abaixo mostra como o banco acompanha a utilização de um cartão: 
Como se verifica com exatidão, o banco sabe exatamente o que você consome, onde usualmente consome e qual o gasto com cada item. No caso acima, por exemplo, uma compra de R$ 3.000 em alimentação deveria soar o alarme.
Esse tipo de situação, via de regra, é controlada por algoritmos, que, apesar do nome, nada mais são do que a "receita do bolo". Um algoritmo é uma instrução, uma receita, que mostra passo a passo os procedimentos necessários para a resolução de uma tarefa. Segundo o dicionário Michaelis, algoritmo é o "conjunto de regras e operações e procedimentos, definidos e ordenados usados na solução de um problema, ou de classe de problemas, em um número finito de etapas".
Dessa forma, basta o banco informar ao computador que seu cliente compra tal e qual determinadas coisas e autoriza tais e quais débitos e que, se ocorrer algo fora do padrão, deve imediatamente bloquear o cartão e entrar em contato com o cliente.
Com esse procedimento simples, os bancos poderiam evitar enormes gastos com ações, que, sem exceção, os condenam a pagar danos materiais e  indenizações por tais débitos e, não raro, danos morais, seja por alguma situação vexatória enfrentada pelo cliente ou por cobranças abusivas posteriormente desencadeadas por um débito que poderia ser evitado.

18 PALAVRAS QUE OS NATALENSES APRENDERAM COM OS AMERICANOS DURANTE A 2ª GUERRA

Na época da Segunda Guerra Mundial, em que os americanos se estabeleceram em Natal, o vocabulário da cidade foi “enriquecido” com várias palavras novas.
Era a nova sensação da sociedade pronunciar as expressões do idioma, e o gosto pelo inglês fez surgir diversos professores e estudantes interessados no seu aprendizado.
Veja algumas delas:

“show”

Talvez pela presença constante de música pelos clubes e bares da cidade, ou quem sabe quando os militares estavam curiosos com algo da terrinha e soltavam um “show me!”. Hoje em dia na linguagem popular quer dizer que algo está ótimo.

“whisky”

Bebida que começou a ser mais consumida justamente com a chegada dos americanos na cidade.
Foto cortesia do museu Negro Leagues Baseball Museum

“Yankees”

Famoso time de baseball de Nova York, talvez em conversas que os nativos tinham com os soldados sobre os esportes mais famosos dos EUA. Na época também os Yankees estavam atraindo a atenção do mundo devido à uma temporada mágica de sucesso que estavam desempenhando.

“boy”

Até hoje muito presente no vocabulário do natalense, tendo até variações próprias como “boyzinha” para as mulheres.
Dançarinos de rock entre os anos 40 e 50

“rock”

Mais uma que supostamente apareceu pela popularidade, por ser o ritmo mais famoso entre os norte-americanos.

“girl”

Garota. Quem sabe proveniente das paquera entre soldados e garotas natalenses, ou pela beleza inédita destas.

“drink”

Bebida (ou beber). O consumo de álcool claramente se tornou maior com os estrangeiros. As bebidas mais comuns eram cervejas, “whisky”, a aguardente brasileira e Martinis, esse último mais consumido pelas mulheres.

“cocktail”

Coquetel. Mistura de duas ou mais bebidas típicas de boates nos EUA e que começava a chegar em Natal como uma nova ideia para a forma de se beber.

“money”

Dinheiro. Algo muito desejado em forma de gorjetas pelos comerciantes que vendiam cigarros, bebidas e outros souvenirs para os militares.

“shorts”

Palavra que chegou e se estabeleceu de vez na cidade em adição à “calção” e “bermuda”. Hoje em dia tem variações como “shorte”.

“boyfriend/girlfriend”

“Namorado / namorada “. Os natalenses já sacavam que o amor havia chegado ao coração de um americano quando ele pronunciava essa palavra.

“golf”

Quem sabe não rolava umas brincadeiras em que os visitantes ensinavam golf aos nativos?

“big”

Que significa “grande”. Adjetivo comum e que provavelmente foi fácil de ser incorporado pelos nativos.
Outras palavras eram mais usadas pela necessidade de uso constante:

“blackout”

Que é “apagão”. Devido à precariedade do sistema elétrico da cidade na década de 40 era comum a ocorrência de apagões.

“relax”

Que significa “relaxe”. Essa deve ter rolado muito nas rodas de conversas.

“all right”

“Tudo bem”. Que deveria ser muito comum nos diálogos pra dizer simplesmente: entendi.

“okay”

Essa dispensa explicações, né? Não sei se você sabe, mas o termo “OK” apareceu pela primeira vez na história em um artigo humorístico do Boston Morning Post em 1839, sendo uma abreviatura da frase “oll korrect” que, por sua vez, significava “all correct” (“tudo certo” ou “tudo bem” em tradução livre) – fonte: Mega Curioso

e “slack”

Slack é uma camisa de seda tipicamente norte-americana, geralmente com estampas floridas.
As informações deste post foram coletadas através de relatos de Manoel de Oliveira Cavalcanti Neto.
De: https://curiozzzo.com

sábado, 28 de julho de 2018







Amordaçado em você

Por Anderson Herzer

Em sua beleza afago os meus desejos,
Em seu calor me vejo a delirar,
E no delírio louco do seu beijo
Perdi minha razão pra contornar.

E tanto mais que ontem
Te devoro,por te querer,
Sem mais poder voltar.
Não posso mais voltar á fase antiga
Pois este coração quer mais te amar.

Na noite,adormeci em tua lembrança,
Tentei,não consegui te evitar.
E na manhã te tive como herança,
Desse amor que está no peito a reinar.

Queria encontrar certas palavras pra te dizer,
Que todo este querer me faz tão bem,
Mas não sei se amanhã
Terei que me acabar pra te esquecer.

Mas hoje eu acredito
No futuro tão puro,
Deste amor a caminhar,
E sei que toda noite no escuro
Eu vou sentir saudade de te amar.

Olhar em seus olhos e vê-los sorrindo,
Beijar tua boca,
Abraçar-lhe,sentindo
Acariciar a sua face
E todo o seu corpo.
E do meu amor sincero ir lhe cobrindo.

Deitar-lhe no solo frio,
E deixar que seu corpo todo
Toque nas regiões sombrias,
Com gosto de vida e morte,
De fogo!

Puxar você pelo braço
E deitar me ao seu lado
E mostrar-lhe que te amo,
Esquecendo o passado.





















A poesia nossa de cada dia.
 Quando o fanatismo gangrena o cérebro, a enfermidade é incurável... Frase de voltaire.



sexta-feira, 27 de julho de 2018

FLOR DO AMOR

Quero te ofertar a flor
Dos beijos que plantei em tua boca.
Tem o perfume suave do amor
E a ternura de almas se encontrando.

Quando vires a flor entreaberta,
Lembra - te, querido amor,
Das Lágrimas que a regaram.

E sentirás, quando beijá-la,
Um amargo sabor de sal
Que as pétalas trêmulas captaram.

Maria Eugênia, poetisa assuense

Rosa Vermelha, Rosas, Flor Do Amor, Jardim De Flores

LINDA LEMBRANÇA NA INFÂNCIA

BOLA DE MEIA
Na nossa época de criança, os meninos humildes tinham criatividade para brincar. Os sonhos eram realizados quando poucos tinham acesso a bola de borracha ou de couro, daí termos de improvisar e construir aquele objeto tão desejado.
Consegui-la nas nossas brincadeiras era quase impossível, diante das dificuldades financeiras daquele pequeno grupo de atletas mirins. Porém, o sonho de vê-la rolando nos campos improvisados, sob os nossos pés, era a mais pura realidade.
O primeiro passo seria conseguir uma meia, geralmente dos nossos pais, o que era teoricamente impossível, pois aquele par jamais poderia ficar ímpar, segundo a argumentação das nossas mães.
Através do tempo, depois de conseguir a meia, restava preenchê-la com algodão ou poucos pedaços de pano para formatar a futura bola, que iria ser lançada no campo sagrado da nossa imaginação, para a alegria da nossa infantilidade.
O jogo ocorria em fundo de quintal, em frente à nossa casa ou em um beco. A minha turma, geralmente, jogava entre a casa onde papai morava (casa de Solon) e o antigo prédio dos Correios (que nunca foi inaugurado), onde hoje localiza-se a Junta Militar.
A partida só terminava com o grito de nossas mães para o almoço, à tarde quando a noite estava chegando e ninguém via mais a bola ou através de confusão.
Bola de meia que proporcionou amizades, brigas, alegrias, topadas em pedras, gols...e que gols.
Amiga bola de meia, quanta saudade. Você está patenteada no amor, na alma e na nossa infância pobre e feliz.
Depois, a realidade foi outra, pois ganhei de presente de papai algumas bolas que me marcaram e ainda lembro do nome: Canarinho, Campeão e Dente de Leite.
Marcos Calaça, jornalista cultural e saudosista.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Septilha da saudade
NA CASA DA FAZENDA DE TIO CHECO
Na fazendola Netuno
No banco fiquei sentado,
Espio pra o terreiro
Com um olhar arraigado,
Observando a natureza
Que é uma linda riqueza,
De um júbilo passado.
Marcos Calaça, poeta matuto e cordelista.

'Baile do Zeh Pretim' agita festa eletrônica na Via Costeira, em Natal Com oito atrações, evento acontece neste sábado (28) no Imirá Plaza Hotel.

Por G1 RN
 

estaque no cenário musical brasileiro, o DJ Zeh Pretim é uma das principais atrações da festa Sommos Sunset, que acontece na Via Costeira, em Natal, neste sábado (28). O evento, que tem início às 16h, traz ainda Cat Dealers, Evokings, Kevin Luke e outros artistas para o Imirá Plaza Hotel.
Em sua terceira edição, a Sommos apresenta o "Baile do Zeh Pretim", que chega com um repertório eclético, que vai do rock à bossa nova, do funk ao eletrônico e do hip hop ao reggaeton.
Ao todo, oito atrações farão parte da festa, que terá dois palcos e open bar por tempo limitado.
"É uma festa que começa ao entardecer, com o pôr do sol, e vai rolando numa noite de lua cheia repleta de muita animação e surpresas", destaca um dos organizadores da Sommos, Kadu Severiano.

Serviço

Sommos Sunset
  • Atrações: Cat Dealers, Zeh Pretim, Evokings, Kevin Luke, Flavio Alvarez, Rodrigo Calife e Serju
  • Local: Imirá Plaza Hotel, Via Costeira, 4077
  • Horário: 16h
  • Valor: R$ 100
  • Ingressos: Bransk (Shopping Midway Mall) e online através da Sommos
  • Informações: (84) 99911-1161
Festa conta com oito atrações, entre elas, Cat Dealers (Foto: Divulgação )
Festa conta com oito atrações, entre elas, Cat Dealers (Foto: Divulgação )

domingo, 22 de julho de 2018

"Quem julga alguém pelo que veste, deve ter esquecido que nasceu nu". 
Espalhe ternura; ouça; observe; auxilie.
A essência é o que conta.
(Da Linha do Tempo/Facebook de AML)

Eleições presidenciais já têm 4 candidatos confirmados em 3 dias de convenções


Partidos têm até o dias 5 de agosto para realizarem suas convenções nacionais. As candidaturas podem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto





Estadão

Ciro Gomes é candidato, mas ainda não tem vice definido

Nos primeiros três dias de convenções nacionais, quatro candidatos a presidente da República foram confirmados pelos partidos políticos: Ciro Gomes (PDT), Paulo Rabello de Castro (PSC), Guilherme Boulos (PSol) e Vera Lúcia (PSTU). Enquanto o PSol e o PSTU lançaram a chapa completa, o PDT e o PSC ainda vão escolher os candidatos a vice-presidente.
Os convencionais do PDT aprovaram uma resolução autorizando a Executiva Nacional a negociar as alianças para o primeiro turno das eleições e o vice de Ciro Gomes. O PSC também vai articular um vice que agregue apoios, mas o candidato demonstrou disposição de ter uma mulher na sua chapa.
O PSol formou uma chapa puro sangue: Sônia Guajajara será a candidata a vice de Boulos. O partido, no entanto, disputará as eleições de outubro coligado com o PCB, que realizou convenção na última sexta-feira e aprovou a aliança. O PSTU optou por não fazer coligações. O vice de Vera Lúcia será Hertz Dias.
O PMN e o Avante realizaram ontem (21) convenções nacionais e decidiram não lançar candidatos a presidente da República. Na convenção, o Avante decidiu dar prioridade à eleição de deputados federais: terá uma chapa com cerca de 80 nomes e pretende eleger pelo menos cinco.
O Avante não definiu se apoiará algum candidato a presidente no primeiro turno. Já o PMN decidiu que não dará apoio a nenhuma chapa nas eleições presidenciais.
Os partidos têm até o dias 5 de agosto para realizarem suas convenções nacionais. As candidaturas podem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até 15 de agosto. No próximo sábado devem se reunir SD, PTB, PV, PSD e DC.

sábado, 21 de julho de 2018

Para pagar promessa, pai coloca nome de Francisco em 17 filhos

Família é natural de Carnaubais, no interior do RN. Ao todo, são 11 Franciscos e 6 Franciscas.


Por Lucas Cortez*, G1 RN
 
Imagem feita em 2004 com os matriarcas e oito irmãos Franciscos (Foto: Arquivo Pessoal)

Francisca Primeira, Francisca Segunda, Francisca Terceira... E assim por diante até Francisco Décimo Sexto. Esses são os nomes de irmãos que nasceram no município de Carnaubais, na região Oeste potiguar. Ao todo, são 11 Franciscos e 6 Franciscas. Atualmente, 9 deles estão vivos e com idades entre 46 e 64 anos.
De acordo com Francisca Segunda, filha do casal Tarcísio de Moura e Terezinha Pinheiro, os nomes idênticos foram por causa de uma promessa feita pelo seu pai durante a juventude.
"Ele teve tuberculose e ficou muito doente. Então, fez uma promessa para São Francisco, que se ele ficasse curado e tivesse filhos, todos irão ter o nome Francisco ou Francisca. Aí ele ficou bom, casou e teve a gente", conta Segunda, que mora em Assu, também no Oeste potiguar.
Ela explica que a questão numérica não fez parte da promessa. "Meu pai gostava muito de brincar e inventou essa ordem para os filhos", diz ela, aos risos.
Um dos mais jovens entre os irmãos, Francisco Décimo Quarto, de 50 anos, conta que durante o período escolar muitas pessoas brincavam com os nomes dos irmãos. "Na escola muita gente estranhava e fazia piadas, mas agora o povo se acostumou", afirma.
Outro fato curioso é que o irmão mais novo não recebeu numeração. O décimo sétimo filho chama-se Francisco Onésimo, um nome bíblico, dado por influência de Francisca Segunda.
"Eu disse para meu pai que não precisava mais colocar ordem numérica nos filhos. Aí fiz a cabeça dele para registrar com o nome Onésimo, que sempre gostei muito", revela Francisca.
Atualmente, parte dos irmãos moram em Assu e outra em Natal. Os pais são falecidos.
Terezinha Pinheiro faleceu em 2011 e Tarcísio de Moura em 2014 (Foto: Arquivo Pessoal )
Terezinha Pinheiro faleceu em 2011 e Tarcísio de Moura em 2014 (Foto: Arquivo Pessoal )Terezinha Pinheiro faleceu em 2011 e Tarcísio de Moura em 2014 (Foto: Arquivo Pessoal )

Sei dos teus novos amores  Tudo timtim por timtim;  Dizes, que tal... e que não;  Eu sei, que tal... e que sim.  Sei que déste aos teus...