domingo, 30 de setembro de 2018

Ciro afirma que declarações de Bolsonaro deixam claro o anúncio de um golpe

Quanto às manifestações ocorridas contra o presidenciável do PSL, Ciro diz que 'as mulheres brasileiras vão salvar o País desse precipício'





Candidato do PDT afirmou que os extremismos entre o PT e Bolsonaro vão levar o País a uma guerra civil

A declaração do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) de que não aceitaria o resultado da disputa eleitoral, caso não saísse vitorioso, “deixou claro o anúncio de um golpe”, disse o candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes. O pedetista participou de evento com profissionais da área da saúde, neste domingo, 30, na capital paulista.
Na última sexta-feira,28, Bolsonaro disse em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, do programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, concedida do quarto do hospital Albert Einstein, onde se recuperou de um atentado à faca sofrido no início deste mês, que não poderia falar pelos comandantes militares, mas pelo que via nas ruas, não aceitaria um resultado diferente da sua eleição. Ele ainda reiterou que a única possibilidade de vitória do PT viria pela “fraude”.
“Somando a fala de Bolsonaro com as declarações anteriores do vice, general Mourão, sobre a criação de uma nova Constituição, e ‘juntando lé com cré’ percebemos a iminência de um golpe”, argumentou Ciro.
O candidato do PDT afirmou que os extremismos entre o PT e Bolsonaro vão levar o País a uma guerra civil, como na Venezuela Bolsonaro e Fernando Haddad (PT) permanecem na primeira e segunda colocação, respectivamente, nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência. “Eu reagi, enquanto Haddad ficou calado”, alfinetou Ciro, novamente em referência às declarações de Bolsonaro.
Quanto às manifestações ocorridas ontem,29, contra o presidenciável do PSL, Ciro diz que “as mulheres brasileiras vão salvar o País desse precipício”, que seria uma eventual vitória de Bolsonaro. “Ele já foi derrotado graças ao valor da mulher brasileira”, acrescentou. Os protestos iniciados na internet com as hashtags #EleNão e #EleNunca foram promovidos pelo eleitorado feminino.
“Bolsonaro, agora você já está de alta médica e não tem mais desculpas. Te espero hoje à noite no debate”, arrematou Ciro, sobre o debate que será realizado neste domingo na Rede Record.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Xingou no Facebook por seu candidato? Cuidado, seu chefe pode estar e olho

Claudia Varella
27/09/2018 04h00
Colaboração para o UOL, em São Paulo
Ideologias, partidos políticos e candidatos. Até que ponto é inofensivo para a sua imagem profissional defendê-los ou atacá-los em redes sociais? Em época de eleição, as redes sociais, como Facebook e Instagram, viraram palco de batalha entre simpatizantes deste ou daquele candidato a presidente do país ou ao governo do estado, com troca de ofensas e uso de memes para enaltecer ou criticar um ou outro.
Fica, então, a pergunta: como agir para defender o seu candidato sem perder uma vaga de trabalho ou ainda colocar seu emprego em risco? Que prejuízos esse ou aquele posicionamento que você faz pode trazer para sua vida profissional?
Leia também:
Para Andrea Deis, 45, coach de desenvolvimento de carreira, formada em gestão empresarial pela FGV (Fundação Getulio Vargas), as redes sociais são a vitrine de uma pessoa. “Antes de postar qualquer coisa, você deve fazer o seguinte questionamento: o que as pessoas precisam saber de mim? As redes sociais, no fundo, mostram um pouco quem você é”, afirmou.
Segundo ela, no mundo corporativo, as empresas olham as redes sociais dos profissionais que concorrem a uma vaga na companhia para entender como eles pensam e agem. “As empresas usam o LinkedIn para fazer uma análise profissional do candidato à vaga e depois vão para as redes sociais para olhar o seu comportamento. Redes sociais são determinantes hoje no processo de seleção”, declarou.
Marcia Vazquez, 60, gestora de capital humano na Thomas Case & Associados, consultoria que atua na gestão de carreiras e RH, disse que, desde o processo de recrutamento e seleção, as empresas buscam conhecer nas redes sociais os candidatos à vaga.
“Tudo é vasculhado pela empresa, desde suas redes sociais até comentários postados, por exemplo, em matérias de sites. As empresas vão juntando esse tipo de exposição para entender o perfil comportamental daquele funcionário ou profissional candidato à vaga”, afirmou.
Segundo o advogado André Damiani, 43, sócio fundador do escritório Damiani Sociedade de Advogados, o programa de compliance das empresas (códigos de ética e conduta) já prevê em suas políticas internas proibições de publicações ou divulgações de conteúdo nas redes sociais que possam representar ofensa a outras pessoas ou que possam impactar negativamente a imagem da companhia.
São vedadas pelas empresas, disse Damiani, manifestações que depreciem colaboradores ou alimentem preconceito em relação a sexo, raça, opção sexual e religião, por exemplo. “As penalidades para aqueles que descumprirem as normas internas ou externas da empresa vão da advertência até a demissão por justa causa, a depender do caso”, declarou.
Confira dicas de como se portar nas redes sociais nestas eleições, de acordo com as consultoras:

1) Discuta ideias, e não pessoas

Se você quiser, de fato, usar as redes sociais para fazer debate político, sobre este ou aquele candidato, discuta ideais, segundo Andrea. “Promova debates de ideias, que são, de fato, o que interessa para o país. Quem fala de pessoas está fazendo fofoca e pode até estar, mesmo sem saber, difundindo informações falsas sobre elas. No debate, valorize o propósito, que é um país melhor”, afirmou.

2) Não ofenda as pessoas

Mesmo num debate político, quando os ânimos podem estar exaltados, nunca ataque as pessoas com ofensas. “Nunca agrida as pessoas que estão discutindo com você. Foque sempre no debate das ideias”, declarou Andrea.
Para Marcia, a pessoa precisa ter sabedoria “para saber falar”. “Temos o direito de pensar e falar, mas é preciso tomar cuidado sempre, para não ofender, não magoar nem discriminar alguém”, declarou.

3) Respeite para ser respeitado

Você é daqueles que gosta de expor suas opiniões, mas não quer ouvir a dos outros? “Está errado”, disse Andréa. “As pessoas inteligentes devem saber falar e ouvir. O respeito está acima de tudo. Se você quer ser ouvido, tem de saber ouvir. Exponha seus pontos de vista, mas também deixe o outro expor os dele”, declarou.
Para Marcia, as empresas precisam de profissionais com perfis conciliadores. “São aquelas pessoas que sabem ouvir, interpretar e conciliar as partes numa atitude construtiva. O importante é trazer conteúdo para o debate e fazer pensar, pois é na união das diversas contribuições que a gente aprende.”

4) Jamais faça comentários racistas ou preconceituosos

Andrea disse que comentários racistas ou preconceituosos são passíveis de crime. “Por isso, pense antes de escrever qualquer comentário que possa discriminar ou ofender alguém. Não julgue as pessoas nas redes sociais. É preciso sempre medir as palavras”, afirmou.
Marcia, da Thomas Case & Associados, disse que, mesmo conhecendo os valores da empresa na qual trabalham, funcionários "sem limites" estão passíveis de advertências e até de demissão, em casos em que proferem ofensas ou discriminam alguém nas redes sociais. “São atitudes que não condizem com os valores daquela empresa. Como as empresas estão sempre de olho, tudo isso está sendo avaliado”, disse.

5) Não seja extremista

Segundo Andrea, pessoas que têm nas redes sociais opiniões extremistas, como desejar a morte de alguém, e atitudes agressivas, como xingar candidatos e seus simpatizantes ou incitar atos violentos, não são bem vistas pelas empresas.
“As empresas entendem que os candidatos à vaga que têm esse perfil nas redes sociais são individualistas e escutam pouco. Por isso, o seu custo para a empresa é alto, pois, até que esse tipo de funcionário se adapte e comece a dar retorno financeiro, leva tempo”, afirmou.

6) Cuidado até em grupos privados

Marcia disse que, mesmo em grupos privados nas redes sociais, é preciso ter cuidado. “Estamos num momento em que precisamos ficar atentos a tudo que falamos, escrevemos, curtimos ou compartilhamos. Mesmo em grupos fechados nas redes sociais, as pessoas podem disseminar suas ideias para fora do grupo, interpretando de maneira diferente o que você falou”, afirmou.

Imagem da empresa x liberdade de expressão

As empresas, no geral, respeitam o direito constitucional de manifestação do indivíduo, mas também incentivam seus funcionários a se pautarem pela moderação dos discursos individuais, segundo Márcia.
Para ela, os funcionários são parte da marca da empresa. “O código de conduta das empresas normalmente fala em cuidar desta marca. Isso significa, portanto, cuidar de nossas comunicações e comportamentos. Tudo pode ser dito desde que de maneira assertiva e focada, respeitosa conosco e com os demais. Nós somos a marca da empresa em que trabalhamos.”
Márcia disse que a empresa pode monitorar o colaborador nas redes sociais e “fazê-lo entender que ele é parte fundamental para a imagem e reputação da companhia”.
Segundo o advogado Damiani, a liberdade de informação e de manifestação do pensamento “não é sinônimo de impunidade” no que se refere a eventuais ofensas contra a honra, a imagem e a dignidade da pessoa.
A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Eu voto numa gazela
Num pedaço de imbira
Numa espinha de traíra
Na tampa de uma panela
Eu voto numa suvela
Num pedaço de carvão
Voto num pano de chão
Numa cadela com xanha
Voto na mãe de pantanha
Mas num poste, voto não!
Voto num galo goguento
Apoio até João badalo
Voto na tampa de um ralo
Num cachorro bem sarnento
Voto em qualquer lazarento
Na zuada de um trovão
Eu voto num gavião
Mas não voto num fantoche
Dou meu voto ate num broche
Mas num poste, voto não!
Eu voto num carroceiro
Numa velha maltrapilha
Mas não elejo quadrilha
Pra roubar nosso dinheiro
Não dou voto a cachaceiro
Que vive numa prisão
Eu voto até num furão
Voto num arroto xôco
Voto na bucha de um côco
Mas num poste, voto não!
Por ser um bom eleitor
Voto numa muriçoca
Voto numa franga choca
Na carroça de um trator
Num avião sem motor
Numa casca de limão
Voto na irmã do cão
Numa quenga depravada
Voto num cabo de enxada
Mas num poste, voto não!
Pra mudar este pais
Eu voto até numa muda
Não voto em cobra barbuda
Que tem nome de Luiz
Voto numa meretriz
Dou meu voto a safadão
Mas gigolô de ladrão
Nessa terra eu não aceito
Dou meu voto num confeito
Mas num (POSTE) voto não!
Autor e poeta (Ramim Alejado /Sta Cruz-RN)
Pelo telefone


Ignoro quem tu és,
de onde vens,
aonde irás;
amo-te pelo enigma pertinaz
que em ti me atrai e me intimida,
por essa música mendaz
de tua voz
que alvoroçou minha audição
e me vem desviando a vida
de seu destino de solidão.
 
Ignoro quem tu és,
de onde vens,
aonde irás...
Fala-me sempre,
mente mais;
não te posso exprimir o pavor que me invade,
as aflições que me consomem,
ao meditar na triste realidade
de que deve ser feita
essa tua alma de homem.
Ignoro quem tu és,
de onde vens,
aonde irás,
audaz
desconhecido;
tua palavra mente ao meu ouvido,
mas não mente essa voz que me treslouca!
— Ela é o amor que me chama por tua boca,
num apelo tristonho,
de saudade;
é a exortação do sonho
à minha rara sensibilidade.
Ignoro quem tu és,
de onde vens,
aonde irás:
amo a ilusão que tua voz me traz.
a falsidade em que procuro crer.
 
Fala-me sempre, mente mais,
que de mim só mereces tanto apreço,
ó nebuloso, porque desconheço
as humanas misérias de teu ser!
Mas nesta solidão a que me imponho,
quando quedo em silêncio
a te aguardar a voz,
como se torna teu enigma atroz,
que ânsia de estrangular este formoso sonho,
de transpor os espaços,
de bem te conhecer,
de me atirar depressa,
inteira,
nos teus braços,
de te possuir só para te esquecer!...

(Gilka Machado)
A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Oh, morte negra e ingrata
Tua justiça eu renego
Eu sei que você me mata
Mas nem morrendo me entrego
A mágoa que carrego
Fere-me como uma seta
Prossiga na meta
Mate tudo nesse mundo
Mas nunca mate um POETA.

José Cproplano Ribeiro, poeta de Ipaguaçu.
Pode ser João da Bodega,
Raimundo ou Zé dos Estrondos,
Antônio dos Maribondos,
E o véi do saco que pega.
Até mesmo a Cabra Cega,
Jeca Tatu ou Cascão,
O cavalinho do cão,
Cicrano junto a Beltrano,
Voto até em Seu Fulano
Qualquer um, mas nele não.
Eu voto em Roque Santeiro,
No famoso Mazaropi,
Nas respostas de Artropi,
Numa colher de pedreiro.
Num mocotó de carneiro,
Na folha de cançanção,
Na fumaça de um pirão,
Num cabelo de bigode
Voto em suvaco de bode,
Na mulesta e nele não.
Rés tegue ele não!

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

"De repente, o silêncio no peito
Mas, o grito na garganta...
De dúvida e desespero... não era verdade!
Essa coisa assim, esse medo, sem ter jeito
Esse grito forte, essa dor tanta
Essa dor da certeza, que já é saudade.
Tudo acontece tão de repente
Parece que tudo não passa de um sonho
Um pesadelo, que a gente quer acordar
Tasso da Silveira um homem contente
Que em versos agora componho
Meu grito, não posso calar.
Muitas vezes eu me pergunto, sem resposta
Para onde vai toda essa força que a gente tem
Quando perdemos alguém que a gente gosta...
É que a realidade da vida se apresenta
Quando alguém parte sem explicação, sem volta.
Mas, a vida é mais forte que a morte.
Pois a morte que pra gente é certa
É apenas o começo de uma nova vida
Que não terá fim, será eterna..".
Wiliame Caldas..27/09/2018...

Notícia que agente não gosta de dar/ Nota de falecimento

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos

Comunicamos com profundo pesar  o falecimento do amigo Tasso da Silveira.
levamos nossos votos de pesar a toda família.

Ex-secretário de saúde, poeta, comerciante, torcedor fanático do Fluminense, Tarso era uma figura emblemática em Ipanguaçu.

Sua pequena loja próximo ao Banco do Brasil era movimentada diariamente, sua presença nos cortejos fúnebres no município e sentimento de pesar aos familiares era marca registrada de sua humildade. Sábio e comunicativo, ele discursou ontem a frase de Dix-Huit Rosado durante um evento político na cidade. 

Menos de 24h de sua empolgação, de sua vontade e envolvimento pela política, um desfecho triste retira seu corpo desta vida.

É difícil de entender cada capítulo neste mundo, mas seu legado e a admiração que conquistou, permanecerá presente sobre o território dos 15 mil habitantes que conheceram esse homem.

http://www.ipandobem.com/

sábado, 22 de setembro de 2018

Baseada no best-seller homônimo de Augusto Cury, O Vendedor de Sonhos ganha versão teatral, adaptada pelo próprio escritor! Será no dia 19 de outubro, aqui no Teatro Riachuelo Natal. Ingressos em Uhuu.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Parabenizo o amigo e primo George Soares pela passagem da sua data natalícia, hoje, 21, desejando saúde, paz e sucesso, na sua reeleição para deputado estadual pelo Rio Grande do Norte, especialmente o nosso querido e importante Vale do Açu.

Fernando Caldas

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Ser mulher, vir à luz trazendo a alma talhada
para os gozos da vida: a liberdade e o amor,
tentar da glória a etérea e altívola escalada,
na eterna aspiração de um sonho superior…
Ser mulher, desejar outra alma pura e alada
para poder, com ela, o infinito transpor,
sentir a vida triste, insípida, isolada,
buscar um companheiro e encontrar um senhor…
Ser mulher, calcular todo o infinito curto
para a larga expansão do desejado surto,
no ascenso espiritual aos perfeitos ideais…
Ser mulher, e oh! atroz, tantálica tristeza!
ficar na vida qual uma águia inerte, presa
nos pesados grilhões dos preceitos sociais!
Gilka Machado

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

STF mantém decisão que determinou à Caixa correção monetária de saldos do FGTS

A questão foi discutida no julgamento de recurso extraordinário com repercussão geral reconhecida. Atualmente, existem cerca de 900 processos sobrestados envolvendo o mesmo tema.
20/09/2018

Na sessão plenária desta quinta-feira (20), por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou provimento a recurso contra decisão que determinou à Caixa Econômica Federal o pagamento de diferenças de correção monetária sobre saldos de contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em decorrência da aplicação de planos econômicos. A questão foi tema do Recurso Extraordinário (RE) 611503, interposto pela Caixa contra decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3). Atualmente, existem cerca de 900 processos sobrestados envolvendo o mesmo tema do RE, que teve repercussão geral reconhecida.
O tema de fundo é a aplicação do parágrafo único do artigo 741 do antigo Código de Processo Civil (CPC), segundo o qual é “inexigível o título judicial fundado em lei ou ato normativo declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal” ou fundado em aplicação ou interpretação considerada incompatível com a Constituição Federal.
A Caixa buscava impedir o pagamento dos índices de atualização alegando que tais indicadores foram reconhecidos como indevidos pela jurisprudência do STF. Segundo a empresa pública, o dispositivo do antigo CPC deveria ser respeitado e, caso a decisão do TRF-3 fosse executada, haveria violação aos princípios da intangibilidade da coisa julgada e da segurança jurídica.
Em junho de 2016, o relator, ministro Teori Zavascki (falecido), votou pelo desprovimento do recurso por entender que o parágrafo único do artigo 741 do CPC de 1973 não é aplicável à hipótese da decisão do TRF-3. Na ocasião, lembrou que o dispositivo foi declarado constitucional pelo Supremo no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 2418. Segundo o relator, o acórdão questionado deveria ser mantido porque, nos termos do que foi decidido nessa ADI, o dispositivo do CPC de 1973 supõe sempre uma declaração de constitucionalidade ou de inconstitucionalidade de um preceito normativo, o que, segundo ele, não aconteceu no caso.
Na sessão de hoje, o ministro Ricardo Lewandowski apresentou voto-vista e acompanhou o relator. “É importante assentar que a Corte está admitindo a correção monetária do FGTS, mesmo contra o Plano Collor 2”, ressaltou, avaliando que “haverá um impacto considerável na conta desse fundo”. Lewandowski lembrou a necessidade da produção de uma tese para orientar as demais instâncias e sugeriu que fosse aproveitado o item 3 da ementa da ADI 2418.
Tese
A tese de repercussão geral aprovada, por maioria dos votos (vencido o ministro Marco Aurélio), foi a seguinte:
São constitucionais as disposições normativas do parágrafo único do artigo 741 do CPC, do parágrafo 1º do artigo 475-L, ambos do CPC/1973, bem como os correspondentes dispositivos do CPC/2015, o artigo 525, parágrafo 1º, III e parágrafos 12 e 14, o artigo 535, parágrafo 5º. São dispositivos que, buscando harmonizar a garantia da coisa julgada com o primado da Constituição, vieram agregar ao sistema processual brasileiro um mecanismo com eficácia rescisória de sentenças revestidas de vício de inconstitucionalidade qualificado, assim caracterizado nas hipóteses em que (a) a sentença exequenda esteja fundada em norma reconhecidamente inconstitucional – seja por aplicar norma inconstitucional, seja por aplicar norma em situação ou com um sentido inconstitucionais; ou (b) a sentença exequenda tenha deixado de aplicar norma reconhecidamente constitucional; e (c) desde que, em qualquer dos casos, o reconhecimento dessa constitucionalidade ou a inconstitucionalidade tenha decorrido de julgamento do STF realizado em data anterior ao trânsito em julgado da sentença exequenda.
http://portal.stf.jus.br

Ciro chama de fascista ideia atribuída a economista de Bolsonaro de alíquota única de IR

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, classificou como fascista a ideia de uma alíquota de Imposto de Renda, que teria sido apresentada por Paulo Guedes, coordenador econômico do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, de acordo com o jornal Folha de S.Paulo nesta quarta-feira.

Candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, faz campanha em São Paulo
19/09/2018
REUTERS/Paulo Whitaker

Candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, faz campanha em São Paulo 19/09/2018 REUTERS/Paulo Whitaker
Foto: Reuters
Para o pedetista, a proposta vai na contramão do que é praticado no "mundo sério", já que imporia uma carga tributária maior aos que ganham menos.

De acordo com o jornal, Guedes, que deve assumir o Ministério da Fazenda se Bolsonaro vencer a eleição, disse que adotará uma alíquota única de Imposto de Renda de 20 por cento. [nL2N1W509F]

"Todo o mundo sério cobra imposto de forma progressiva, ou seja, cobra menos de quem pode pagar menos e mais de quem pode pagar mais. O que o 'posto Ipiranga' do Bolsonaro está propondo é o inverso. Ou seja, o que é que ele está propondo? Pegar as pessoas que hoje pagam 7,5 ou 10 por cento de Imposto de Renda e passar a pagar 20. E as pessoas que ganham mais e que deveriam pagar um pouco mais, que hoje só pagam 27,5, pagar só 20", disse Ciro a jornalistas após evento com sindicalistas em São Paulo.

"Ou seja, está fazendo o oposto, que é a cara do fascismo. O fascismo é exatamente isso, toda perseguição aos mais pobres --de preferência se forem mulheres, jovens, negros, indígenas ou LGBTs-- e todo o privilégio para os barões de cima. O povo que decida se quer isso para o Brasil", acrescentou.

Nesta tarde, o presidenciável recebeu apoio de centrais sindicais à sua candidatura. No Twitter ele comemorou a adesão da União Geral dos Trabalhadores (UGT), da Nova Central Sindical, da Confederação dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e da Força Sindical, essa última ligada ao deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) e ao Solidariedade, partido que compõe a coligação que apoia oficialmente o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

MULA SEM CABEÇA E PAPAI NOEL

Ciro também fez críticas ao Ibope, que divulgou pesquisa eleitoral na véspera apontando que o candidato do PT, Fernando Haddad, desgarrou-se dos demais candidatos e agora está isolado na segunda posição, atrás de Bolsonaro, que lidera a corrida presidencial.
"O que eu tenho dito à população é que nós não podemos ceder o nosso voto --que define, afinal de contas, o destino de nossa família, o destino da nação-- aos institutos de pesquisa, independentemente de eles poderem ou não serem subornados --porque nesse país acaba se subornando tudo-- independentemente disso, eles erram", disse Ciro.
O presidenciável já havia feito apelo semelhante durante entrevista à rádio CBN, nesta manhã. [nL2N1W50N7]

Ciro foi questionado se a agenda de campanha que fará na Região Nordeste nos próximos dias tem como principal objetivo conter o crescimento de Haddad na região. Ele negou e, quando um jornalistas afirmou que o Ibope aponta uma grande distância entre ambos no eleitorado nordestino, ironizou o instituto.

"E você acredita no Ibope? E em mula sem cabeça? Acredita também? E em Papai Noel, acredita?", rebateu.

 https://www.terra.com.br


A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Cláudio Gabriel De Macedo Júnior, pessoas sorrindo, pessoas em pé e texto

Facebook monta “sala de guerra” para monitorar eleições no Brasil e nos EUA



Facebook admitiu o abuso da plataforma com iniciativas de desinformação nas eleições presidenciais estadunidenses em 2016 e desde então vem reunindo esforços para evitar que as fake news e ações coordenadas de pessoas mal-intencionadas possam interferir em novos pleitos.


Agora, a companhia prepara “salas de guerra” física e digital para combater esse tipo de comportamento no processo eleitoral deste ano no Brasil e nos Estados Unidos — por aqui escolhemos presidente, governador, senadores e deputados em outubro e os ianques selecionam seus novos deputados e senadores em novembro.

Essas centrais de monitoramento estarão na sede da rede social, em Menlo Park, na Califórnia. As equipes reunião diversos departamentos, incluindo os de engenharia e inteligência sobre ameaças, e dados legais e científicos, entre outras frentes. Serão mais de 300 pessoas mobilizadas simultaneamente, enquanto 20 delas estarão nessa base de operações.
facebook
“Vai servir como uma central de comando. Assim poderemos tomar decisões em tempo real, caso sejam necessárias”, adiantou o diretor de gerenciamento de produtos para as campanhas eleitorais e esforços de engajamento cívico do Facebook, Samidh Chakrabarti, em conferência com jornalistas nesta quarta-feira (19).

Brasil já conta com uma força-tarefa especial
Em julho, o Facebook disse que desvendou uma campanha com dezenas de contas e páginas usando o equivalente a US$ 11 mil em anúncios para influenciar pessoas com causas políticas de forma suspeita. O CEO Mark Zuckerberg disse recentemente que de março a outubro mais de 1,3 bilhão de perfis falsos foram desabilitados e a rede social mantém parceria com duas organizações sem fins lucrativos para monitorar a segurança em pleitos e eventos internacionais, a International Republican Institute e a International Democratic Institute.
No Brasil, já há uma reunião de esforços na plataforma para desativar contas que vêm espalhando notícias falsas e a companhia disse que se aliou a companhias de checagem de dados para criar dois bots, capazes de ajudar a reconhecer automaticamente o conteúdo de desinformação antes mesmo que eles se espalhe por aí.
De: https://www.tecmundo.com.br

Sei dos teus novos amores  Tudo timtim por timtim;  Dizes, que tal... e que não;  Eu sei, que tal... e que sim.  Sei que déste aos teus...