domingo, 25 de maio de 2014

A HORA DO ADEUS

Foto: Nossa convivência foi breve, mas o suficiente para que seu jeito alegre, solidário e simples de ser me cativasse. Sinto me honrado por ter te conhecido e tido o privilégio de convivermos, mesmo que por tão pouco tempo. Lembro me dos nossos trabalhos na faculdade, das caronas que peguei com você quando a prefeitura não disponibilizava carro. Lembro me da bela pessoa que você era por dentro e por fora, e com certeza continua a ser. Adeus, minha amiga Gianny Mara Wanderley. Espero nos encontramos novamente no mundo espiritual, quando eu retornar esse.
Estou aqui diante da tela do meu computador ouvindo o anúncio da nota fúnebre emitida por familiares de Gianny Mara Pereira Wanderley, a convocação expressa um doloroso sentimento de saudade que começam a vivenciar todos que fazem parte do seu ciclo de amizade. Quero reunir forças pra ir até a sua casa local do velório ou câmara municipal lhe render assim como os demais conterrâneos a nossa ultima homenagem, entretanto uma força interior me recomenda a permanecer mantendo sua imagem da forma que sempre a conheci.
Sinto que a cada pessoa amiga que Deus leva para o paraíso eterno se estabelece um enorme deserto, uma lacuna impreenchível de sentimentos me refugia do adeus final, gesto que devido minha obesidade causa um incontrolável desejo de ficar contemplando a minha saudade, associada aos momentos aflitivos de quem se despede em incontidos prantos a partida da pessoa amada e querida por todos os presentes.
Outros amigos Deus levou recentemente: lamento que senti por Chiquinho Domingos, Hermógenes Medeiros em Pendências e Batista Cândido, sepultado no último dia 17 e somente ontem soube da sua morte, ação que devo respeitar doravante.
Vá com Deus Gianny e que os anjos “Querubins” seja pra todos que lhe devotaram nesta hora do adeus suas preces finais, o guia da sua chegada no céu.
Postado por Aluizio Lacerda

Nenhum comentário:

Postar um comentário