FERNANDO CALDAS - SOBRE TUDO

sábado, 29 de agosto de 2020

A prece maior é ser feliz por nada.
É agradecer por tão pouco.
É amar até quem não nos ama...

É respeitar os limites, os medos, as diferenças.
É perdoar as ofensas, os erros, os espinhos .
É ter os olhos voltados para o sol.
É ter o coração tranquilo.
É levar uma semente de esperança onde a flor da vida já secou faz tempo... A Prece Maior a Gente Não Faz Ajoelhado, a Gente Faz Sorrindo.
_____________________
Cris Carvalho

 Não quero interromper

O Teu silêncio, oh Pai
Mas, é só orando
Que eu encontro paz
O vento da aflição
Quer apagar a chama
Da minha adoração

O mundo é um oceano
Minha carne é um furacão
Minha vida é um barquinho
Buscando direção
Descansa em minha alma
E acalma a tempestade
Que agita o meu coração

Acalma o meu coração
Acalma o meu coração
O vento está soprando
Mas é Te adorando
Que venço o mar da aflição

Acalma o meu coração
Acalma o meu coração
Só venço esse mundo
Se for em Tua presença
Acalma o meu coração

O barulho do mar
Vem pra me confundir
Oh, Pai não deixe as ondas
Minha fé diminuir
Perdoa se pensei
Que em meio ao Teu silêncio
Não estivesses aqui

Viver na superfície
Sem poder respirar
É o mesmo que morrer
Por não Te adorar
És meu oxigênio
Senhor sem Tua presença
Minha fé vai naufragar

Acalma o meu coração
Acalma o meu coração
O vento está soprando
Mas é Te adorando
Que venço o mar da aflição
Acalma o meu coração
Senhor, acalma o meu coração
Só venço esse mundo
Se for em Tua presença
Acalma o meu coração.


(Anderson Freire 🙌🏻)

sexta-feira, 28 de agosto de 2020

 Assu Antigo

Casa (foto abaixo) situada à Ruas das Flores, que já foi denominada também de Rua Pedro Soares de Araújo Amorim e Siqueira Campos, atual Prefeito Manoel Montenegro, em frente ao Beco do Padre, atual Travessa Fernando Tavares, salvo engano, era de propriedade de Terezinha Lins Caldas Macedo que fora casada com o português João Macedo que depois fora adquirida por venda ou doação ao casal Maria Beatriz e Pedro Amorim (médico), talvez por ele, Amorim, reformada (conforme a segunda fotografia abaixo, onde residiu durante décadas, dr. Edgard Montenegro e Maria Auxiliadora Macedo Montenegro, filhos e netos. Na foto, sentados, conforme Pedro Otávio Oliveira que me forneceu a foto (eu já tinha visto há muitos anos atrás), da esquerda para direita as ilustres figuras como "Francisco Amorim (Chisquito), Candoca Amorim e Silva, ?, Lília Oliveira, ?, Monsenhor Júlio Alves Bezerra, ?, Rachel Rachelita Soares de Macedo,?, ?, Maria de Lourdes Amorim, ?, ?. De pé, primeira filha: ?, João Soares de Macedo, ?, ?, Pedro Soares de Araújo Amorim, Abdon de Macedo, João Celso Filho, dos Amorim, Ezequiel Epaminondas da Fonseca Filho, ?, Manoel Soares Filgueira (ou Domício), ?, Francisco Baptista Ximenes. Segunda filha: ?, ?, ?, não estou lembrando o nome, Minervino Wanderley, Antônio Saboya de Sá Leitão,?, Gelon de Oliveira, ?, Demóstenes Amorim, ?, ?, ?, Plácido de Amorim e Silva, o pai de Horácio Amorim (acho que João Batista), ?, Manoel Cabral, ?, João de Sá Leitão (Giovane)." Esta foto eu já conhecia há muitos anos atrás, atualmente em poder de Pedro Otávio. Mas, existe outra foto original em poder de Gregório Macedo. A Fotografia fora tirada entre os anos 1920-25. Eis, portanto, outro importante registro do velho Assu. (Fernando Caldas).



 

 



quinta-feira, 27 de agosto de 2020

FUTILIDADE Não saias hoje, amor. Dize que sim! Passaremos a noite a conversar. Se queres vou tocar, dançar, cantar... O que eu desejo é ter-te ao pé de mim! Não saias hoje... Iremos ao jardim, Apanho rosas para me enfeitar, E fico presa à luz do teu olhar, E perfumo-me toda de jasmim! Não sais? Dizes que não? Meu bem! Meu bem! Como a gente é feliz quando ama alguém! Oiço apenas na terra a tua voz... Vamos, senta-te aqui. Lê versos, fuma. Enquanto lês eu olho a sala...- Bruma... Vejo-me ao espelho e ponho pó d´arroz. Virgínia Vitorino

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

 Por Pio Morquecho

Que se fosse vela
Que derretesse
Em cores de aquarela
Que num sopro de ar
Desaperecesse a luz
Que tanto trás
Lembranças que a própria luz
Dá nó na goela
Mas não é vela
Permeia o tempo
Consome o ar
Que queima
Que revela.


Nenhuma descrição de foto disponível.

 A imagem pode conter: texto que diz "" Ouse, ouse... ouse tudo!! Não tenha necessidade de nada! Não tente adequar sua vida a modelos, nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém. Acredite: a vida lhe dará poucos presentes. Se você quer uma vida, aprenda... a roubá-la! Ouse, ouse tudo! Seja na vida o que você é, aconteça o que acontecer. Não defenda nenhum princípio, mas algo de bem mais maravilhoso: algo que está em nós e que queima como o fogo da vida!!"

terça-feira, 25 de agosto de 2020

Quadrilha da Vovó Zulmira (Zulmira Dias). Era o ano de 1985. Na fotografia, da esquerda para direita: Casal Dezinho e Ivone Barros, Alexis Pessoa, Uênia Cosme Pereira, Das Chagas Azevedo, Nice e Edgarzinho Montenegro e Fernando Caldas/Fanfan e Lilita Dias, dentre outros. Rua Manoel Montenegro. Fotografia de Ivone Barros.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé e pessoas dançando

sábado, 22 de agosto de 2020

 Fernando Caldas

Estou me deliciando com os versos de Lindomar Paiva com quem eu tenho o prazer de gozar da sua amizade desde os tempos que ele viveu no Assu, funcionário do Banco do Brasil. Lindomar bebeu da água do Piranhas, conviveu com boêmios da terrinha e quase que não saiu de lá. Quando vivia na "Terra dos Poetas" já fazia versos populares. Ele aparece agora com este livro de estréia sob o título "Olhando Para o Passado". Seus versos decanta sua vida de menino, de rapaz, o sertão de sua terra natal Marcelino Vieira, além dos seus amores. Apaixonado como sempre viveu, escreveu:

Uma vez eu amei muito e sofri,
A ela eu dediquei o meu carinho,
Mesmo assim, ela me deixou sozinho,
Sem pensar no quanto eu padeci,
Ela nem imagina o que eu perdi,
Nem o quanto sozinho eu chorei,
Tudo que ela me fez, eu perdoei,
Derramei toda lágrima no meu pranto,
Quem quiser ter saudades do meu tanto,
Sofra e ame do tanto que amei.

A imagem pode conter: 1 pessoa, chapéu, texto que diz "T Olhasado Passado lhando Para Glosas e Outras Poesias Autor Lindomar Paiva (Dedé de Dedeca"

 Comunidade no RN é 1ª no País a receber uma antena do programa Wi-Fi na Praça


Stênio Dantas/Portal Grande Ponto


A comunidade de Angélica, que fica no município de Ipanguaçu (RN), será a primeira do país a receber uma antena do programa Wi-Fi na Praça, que permite o acesso gratuito à internet em regiões com baixo índice de conectividade.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (21) pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, durante cerimônia no município. No Rio Grande no Norte, o Presidente Jair Bolsonaro e ministros anunciaram uma série de ações para a população.

“A comunidade de Angélica é a primeira comunidade do Brasil que está recebendo Wi-Fi na Praça. O wi-fi ali naquela praça e no entorno, 200 metros. Todos aqui da comunidade terão acesso. A senha é Comunica Brasil e Angélica está conectada com o resto do Brasil”, disse o ministro Fábio Faria em discurso.

A antena, instalada no local pela Telebras, vai permitir uma conexão gratuita de 20 Mbps e tem cobertura em um raio de 200 metros. O Wi-Fi na Praça faz uso do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). A ideia do Ministério das Comunicações é estender o serviço a outras localidades do país.

O ministro Fábio Faria também destacou que a Telebras oferece ainda conectividade em banda larga para 223 escolas de municípios e comunidades do Rio Grande do Norte somando 58.086 alunos beneficiados. Desse total, 2.236 são estudantes de Ipanguaçu.

“Hoje também, o presidente [Jair Bolsonaro] está entregando 30 computadores para a cidade de Ipanguaçu e a Comunidade de Angélica”, acrescentou o ministro.

Cerimônia de Entregas do Governo Federal ao Rio Grande do Norte. - Foto: Isac Nóbrega/PR

Expansão da internet banda larga

O acesso à internet no Rio Grande do Norte será beneficiado com o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a operadora TIM e a Agência Nacional de Telecomunicação (Anatel). Trinta e cinco municípios do estado vão receber o serviço de banda larga por meio desse instrumento.

Ainda este ano, a operadora deverá fazer o atendimento a 22 municípios, sendo quatro em outubro, cinco em novembro e 13 em dezembro. Após essas implantações, 96% dos municípios do Rio Grande do Norte contarão com internet 4G.

Fonte: Portal Grande Ponto

sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Por que motivo escrevo Açu, e não Assú

Entendo que a grafia adotada oficialmente na minha cidade natal ("Assú") afronta as regras gramaticais em vigor desde 1943 (acredito que o fator determinante, à época, para passar a se escrever “Açu”). Os dicionários brasileiros e, principalmente, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (publicado pela Academia Brasileira de Letras) registram “açuense" como “aquele que nasceu no Açu-RN”. A tese de se respeitar o nome como era no seu “registro civil”, costumo dizer, faria com que o nome da antiga capital fluminense voltasse a ser escrito “Nictheroy”, por exemplo.

Lê-se no Wilipedia, essa conhecida referência:

“De acordo com as atuais regras de ortografia da língua portuguesa, a grafia correta é Açu, pois prescreve-se o uso da letra "ç" para palavras de origem tupi, bem como não se acentuam oxítonas terminadas em u (a exceção de palavras terminadas com u onde esta vogal encontra-se sozinha na sílaba). Ao longo dos anos, a grafia foi alterada para Assu e finalmente para Açu. Esse forma, com a grafia correta, é a utilizada pelos órgãos federais, como o IBGE, para se referir ao município. Do mesmo vocábulo vem açuense, que é o natural do município.”

(recorte do texto de um livro às vésperas de sair publicado).

João Celso Neto

COMO SURGIU O RELÓGIO DO ALECRIM?

 era hora de falar deste importante símbolo de Natal: o relógio do Alecrim. Muita gente não sabe como ele foi parar ali e se tornou um importante símbolo pra o bairro.

Isso porque ele é o maior ponto de referência para frequentadores do comércio do Alecrim desde o ano de 1966, este que pode ser confuso pra muita gente.