quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Se o crime de te amar não quer deixar-me,
Quando no silêncio os meus perversos
Sentimentos de amor, que mais deploro,
Não te peço consolo para olhar-me
Mas alma apenas para ler meus versos
A chaga viva d’este amor que choro...


João Lins Caldas
(Poema escrito em 1909).





Nenhum comentário:

Postar um comentário