terça-feira, 12 de janeiro de 2016

O britânico de 41 anos que diz ter 800 filhos e ganhar mais um a cada semana

Natalie Morton e Sarah Bell
BBC
  • BBC
    Simon Watson diz que vem vendendo seu esperma nos últimos 16 anos por conta própria Simon Watson diz que vem vendendo seu esperma nos últimos 16 anos por conta própria
Um homem britânico de 41 anos calcula ter tido cerca de 800 filhos ao vender seu sêmen a mulheres que querem engravidar sozinhas.
Simon Watson diz que vem vendendo seu esperma nos últimos 16 anos por conta própria, uma vez por semana.

"Normalmente um bebê nasce a cada semana. Acredito que tenha 800 filhos até agora. Em quatro anos, chegarei à barreira dos 1 mil", brinca ele em entrevista ao programa Victoria Derbyshire, veiculado pela BBC.

"Tenho filhos da Espanha a Taiwan, em vários países. Gostaria de obter o título mundial e ter certeza de que ninguém vai tirá-lo de mim. Isso significa continuar tendo filhos até quando puder".

A história de Simon Watson lembra o filme americano De Repente Pai, protagonizado pelo ator Vince Vaughn. No longa, Vaughn vive um homem de meia-idade que, 20 anos depois de doar sêmen a um banco de fertilização, descobre ser pai de 533 filhos e, em seguida, se lança em uma jornada para buscá-los.

No Reino Unido, as regras para a doação de sêmen são extremamente rígidas. Poucas mulheres são elegíveis à inseminação artificial no NHS (o SUS britânico).

Já as clínicas privadas autorizadas cobram entre 500 a 1 mil libras (R$ 3 mil a R$ 6 mil) por cada ciclo de tratamento. Homens que fazem doação de sêmen só podem ser pais de, no máximo, dez filhos.

No entanto, Watson cobra 50 libras (R$ 300) por seus serviços -- que chama de "caldeirão de poção mágica". O primeiro contato é feito em sua própria página pessoal no Facebook.

Ele diz que suas clientes lhe fazem uma bateria de perguntas, entre as quais, se ele tem alguma doença hereditária e quando podem se encontrar, normalmente em um posto de gasolina em uma rodovia. As mulheres reservam, então, um quarto em um hotel ou usam os banheiros públicos.

Watson diz que não há contato sexual entre ele e as clientes. A inseminação é feita pelas próprias mulheres com uso de seringas.

Ele faz testes para verificar a presença de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) a cada três meses, postando o exame do hospital na própria internet. Ele se orgulha de sua taxa de sucesso: segundo ele, 30% das mulheres engravidam na primeira tentativa após receberem seu sêmen.

"Quem vai a uma clínica de fertilização, tem de enfrentar uma série de obstáculos - sessões de aconselhamento, quantidades infindáveis de testes e serviço caro ? mas realisticamente se você conhece um doador privado, pode se encontrar com ele, pegar o que quer e ir embora", explica

Nenhum comentário:

Postar um comentário