quinta-feira, 12 de maio de 2016

Eis de mim, uma poesia desconhecida.
Eis de mim, um erotismo que não se conhece.
É estranho carregar um sorriso,
uma vida inteira no corpo
e ninguém suspeitar dos traumas,
das quedas, dos medos, dos choros.
Enganam-se aqueles que pensam
que erótico é o corpo.
Erótica é a alma que aceita as cicatrizes.
Não há beleza nelas,mas são minhas.
O que seria eu sem elas.


Cristina Costa


Nenhum comentário:

Postar um comentário