domingo, 27 de abril de 2014


Já não sombreia o batente
E a porta velha da frente
O cupim já lhe devora
No sertão que a gente mora
Mora o coração da gente
(Hélio Crisanto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário