terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Chuva no Sertão


As escuras nuvens no céu despontam,
Trazendo esperanças ao sertanejo,
São gotas de luz para aqueles plantam,
Novos tempos que no sertão antevejo.
É água que cai do céu,
Bendita molhando o chão,
Que tira o sertanejo do léu,
E enche de vida esse torrão.

Os pássaros fazem festa na copada,
Das altas árvores a florescer,
A chuva é a esperança tomada,
Que faz o sertanejo o sonho conhecer.

A chuva é esperança de vida,
É sonho a se sonhar,
Que cada dia toma guarida,
Nas notas do meu cantar.

Francisco Costa, poeta, sócio fundador da Academia Assuense de Letras
http://escritosdocosta.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário