segunda-feira, 18 de abril de 2016

ALCUNHAS DE GENTE DO ASSU


Por Celso da Silveira

Deixamos bem patente nestas NOTAS, a extensa lista de apelidos de gente do Assu. Está na vez das alcunhas dos tipos mais populares do tempo do autor destas linhas para cá:
CAMARÃO - conhecidíssimo chofer e mecânico, muito louro e vermelho como a cor daquele crustáceo torrado.
PIRRÃO - era carteiro do Correio;
ZÉ PINDURA - grande craque do futebol provinciano, encontrado morto entre mata-pastos, o corpo coberto de formigas;
BADANECO - tocador de cavaquinho em forrobodós;
SIÉTA - o desordeiro mais jovem da cidade, embarcou num pau-de-arara para Minas;
SEU BEM - motorista que foi tratador de gado;
ZÉ DE CUCA - verdureiro no Mercado;
PISA CHÁU - (corrutela de pisa-sal), ex-secretário da Prefeitura de Ipanguaçu;
MELÉ - (existem dois); um é ferreiro e o outro fazendeiro;
BRABUFO - uma preta velha que bebia muita cachaça, a quem o autor destas notas xingava quando menino, para ouvi-la dizendo palavrões;
MEUS QUINZE ANOS - Efigênia, que já está perto dos cem anos;
MURICA - negra velha que foi cozinheira afamadíssima;
CHEIRO DE CHUVA - lascou a cabeça do autor destas linhas, certa vez;
JOÃO PEQUENO - tropeiro que contratava areia e barro para construções; 
PEDRINHO DE JOÃO DUDU - ex-goleiro famoso do Centro Esportivo Assuense;
PITEIRA - jornalista que molha o pescoço com a "branquinha";
CABUCÉ - famoso ex-administrador do Mercado Público, que motivou a glosa de Sesyom, cujo mote é o seguinte: "Cabucé cortando bode, / com uma bengala na mão";
CHUPETA - motorista de quem se contam histórias engraçadíssimas, porém impublicáveis;
CHICO DOS TANQUES - é bastante conhecido em toda a cidade;
BUGUINHA - proprietária, longo tempo, de um café muito bem frequentado. Seu esposo, o conhecidíssimo João Miguel, todas as semanas ia à Lagoa do Piató pescar, fazendo com que a mulher desconfiasse de algum namoro do marido, Isso deu lugar a uma glosa memorável de Sesyom, com mo mote seguinte: "João Miguel no Piató, / deixa Joana em confusão";
TUFEGA - auxiliar de carpinteiro;
CARREIRÃO - carregador desde que me entendo de gente ;
MANUEL DE TETÊ - tocador de fole;
CACÁ - oficial de justiça, aposentado;
LOLI - funcionário público estadual;
CAGIBA - carregador;
CAPITÚ - proprietário de uma cacimba no córrego, que deu água muito boa, abastecendo a população da cidade;
ZÉ TIPOINHA - antigo proprietário de um café, casado com Maria MAGRA, terminou louco;
BOBAGEM - mendiga conhecidíssima que, dizem, possuía terras de carnaubal;
CÍCERO LÃZUDO - tocava fole ou concertina, e ficou célebre a sua composição musical intitulada "O Chamego da Menina", que tinha uma letra mais ou menos assim "O chamego da menina/ oh! gente/ oh! gente/ dá de banda e dá de quina/ oh! gente/ oh! gente... / Eu vou embora, etc, etc"; 
GINA PAU - motorista bastante popular, como de resto, todos os outros aqui mencionados.
Continuaremos.
Trecho de artigos publicados na ADVERTÊNCIA - anos 1954 / 1955. republicados no livro Salvados do Assu - de Celso da Silveira. 
Charge de Celso da Silveira colhida no chargistaclaudio.zip.net 

Nenhum comentário:

Postar um comentário