terça-feira, 12 de julho de 2016

MEMÓRIAS



As lembranças que pulsam minha mente
são de um Assu poético e ordeiro
de um povo devoto ao Padroeiro
onde a simplicidade era decente. 
O caboclo dormia ao sol poente,
despertava ainda madrugada,
dava mão do cabo da enxada
e plantava a fé no seu roçado...
Depois matava todo o enfado
nos braços da mulher amada.

Ivan Pinheiro (julho/2016). 
Foto colhida no www.clickmonteiro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário