sexta-feira, 6 de março de 2015

ÍNDIOS DO ASSU ATACAM SÃO GONÇALO E MATAM PADRES E FIÉIS


 
O MASSACRE:
 
O primeiro engenho construído no Rio Grande do Norte, o Cunhaú, foi palco de um grande morticínio no dia 16 de julho de 1645. Durante a celebração da missa de domingo, um grupo de algozes formado por mais de 200 soldados holandeses e índios potiguares (Jandúis, do Assu) mataram o padre André de Soveral e outros 69 fiéis.
 
Três meses depois, no dia 03 de outubro, a Igreja registra mais um morticínio pelas tropas holandesas, dessa vez em Uruaçu. Segundo os relatos históricos, nesse massacre os holandeses usaram de mais crueldade ainda, arrancando as línguas dos fiéis para que não proferissem orações católicas. O celebrante, padre Ambrósio Francisco Ferro, foi torturado e morte. O camponês Mateus Moreira teve o coração arrancado. 
 
No massacre de Cunhaú foram assassinados 69 pessoas, das quais apenas duas foram identificadas; em Uruaçu foram mais 79 mortos e identificados apenas 28. É na data do segundo massacre, em 03 de outubro, que a Igreja Católica celebra a memória dos mártires Padre André de Soveral, padre Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e demais fieis que foram assassinados.
 
Fonte: Novo Jornal - 06/03/2015. Desenho Ilustrativo: elsoncassiano.blogspot.com .

Nenhum comentário:

Postar um comentário