quarta-feira, 27 de julho de 2016

A BODEGA DO MATUTO

Em alta voz e bom tom
a minha mãe já dizia:
- Se conselho fosse bom
não se dava, se vendia.
E eu que sempre lhe segui
confesso que me iludi
por arte não sei de quê
no dia que João Vermêi
me disse: _Eu tenho um concêi
pra mode dá a você.
Você vive feito um burro
trabalhando no pesado
todo dia dano duro
sem nunca ter resultado;
O concêi qu'eu vou lhe dá
se você me escutá
tá garantido o sucesso.
Venda tudo quanto tem
junte o último vintém
bote tudo num comérço.
Apôis num é qu'eu caí
na conversa do safado!
Tudo qu'eu tinha vendi:
12 cabeça de gado
meu cavalo corredor
enxada, cultivador
a espingarda, o borná
pato, galinha, guiné só num vendi a muié
porque ninguém quis comprá.
Peguei o dinheiro todo
emburaquei pra cidade;
No armazém de Haroldo
comprei troço em quantidade.
Paguei, num pedi favô
uns trocado que sobrô
dei de irmola a uma cega
voltei todo chêi de asa
e botei na minha casa
o diabo duma budega.
Os primeiro quinze dias
foram até bem controlado
fui pegano freguesia
aqui, ali um fiado;
Quando um dia João Vermêi
vei me dá outro concêi
mode eu comprá um peru
pra mode fazer um bingo
dizeno assim: -No domingo
você triplica o tutu.
Mais uma vez eu entrei
na conversa do safado
a ele mesmo comprei
um peru gordo, cevado.
E na manhã do domingo
começaro o tal do bingo
sem ninguém saber marcá
me acreditem vocês
doze caba duma
vez batero tudim iguá.
Frechô mais ó meno uns dez
mode pegá o peru
o bicho meteu dos pés
fazendo gulu-gugu.
Maria, minha muié
tava fazeno um café
de cóca, numa panela
quando o peru avistô
fez frechêro e se socô
debaixo da saia dela.
Nisso os caba foi chegano
tudo de cacete armado
e o peru se socano
Maria gritô cuidado!
Era Maria gemeno
e o cacete comeno;
No meio do vaivém
eu peguei um tamborete
entrei no mei dos cacete
quase me lasco também.
Me dero uma tabacada
Por cima do pé d'ouvido.
Levei mais outra paulada
caí no chão estendido;
Nisso chegô um negão
com um cacete na mão
prantô no meu fevereiro
pegou no meu espinhaço
só num quebrô meu cabaço
porque eu pulei ligeiro.
A minha fia, Zefinha
na hora da confusão
tava cuma canarinha
brincano, lá na oitão;
Acunharo ela na vara
a pobre limpano a cara
correu num choro danado
chegô com uma gaiola
e o passarim de fora
todo desparafusado.
Depois da briga acabada
todo mundo ensanguentado
o peru não valia nada
tava todo esfarelado;
E eu de cabeça inchada
por causa das cacetada
que os caba dero em mim.
Hoje se alguém vier dá
conselho mode eu tomá
eu vou digo: olhe o dedim!
Amazan, poeta paraibano de Campina Grande

'A TOURADA QUE NÃO HOUVE'

                                                   


Nos idos de cinquenta, na cidade de Assu, interior do Rio Grande do Norte (onde de tudo acontece), chegou um circo que trazia no seu elenco, um toureiro muito arrojado, chamado Zé Tostão. Ele, o toureiro, bem como a administração do circo começou a propagar pela cidade inteira, dizendo assim: "Quem tiver touro valente, pode trazer para o circo!" Dando a entender que o toureiro venceria o touro rapidamente! O poeta assuense Andière Abreu (Majó) narra no longo poema intitulado de 'A tourada que não houve', aquela estória vivida por ele e demais amigos, conforme adiante: 

Logo que o circo chegou
Para toda Assu bradou
Que no seu elenco vinha
Um toureiro renomado
Valente, muito arrojado
Pois, muita coragem tinha.

Para falar a verdade
Percorreu toda a cidade
Com microfone na mão,
Gritando pra toda gente
Quem tiver touro valente
Traga para Zé Tostão.

Do gado dizendo horrores
Insultou os criadores,
Ferindo assim nosso brio,
Ele fez tanto barulho
Que mexeu com nosso orgulho
Topamos o desafio.

Majó e Chico Germano
Mais o Chicó que é seu mano
Juntamo-nos a Melé
Fomos procurar o touro
Só achamos no criadouro
De Francisco Pacaré.
Então mexemos o bico
Fomos falar com seu Chico
Pra cumprir a empreitada,
Ele pronto concordou
E o touro logo arranjou
Pra fazermos a tourada.

Para agradar Zé Tostão
Escolhemos com atenção
O melhor touro do gado,
Quinze arrobas e colhudo,
Bem forte e muito pontudo,
Mais bravo que irritado.

Cor preta de cara branca
Bem feito de peito e anca
Batizado Papangu.
Com cores desportista
Tinha que ser mesmo artista
Da nossa querida Assú.

Arengueiro e bem valente
Brigou com cavalo e gente
Fez uma festa sozinho,
Arrombou cerca e portão
Botou um muro no chão
Fez rastro em todo caminho.

O touro entrou numa casa
Passou por cima de brasa
Deu carreira em muita gente,
Respeito a nada a ninguém
Em jumento deu também
Pra mostrar que era gente.

Duas cordas na cabeça
Para que ninguém esqueça
Vou dizer quem segurava.
Era Henrique e Carnaúba
Iguais a maçaranduba
Mais fortes que fera brava.

Fora os vaqueiros citados
Foram ainda convidados
Cisso de Padre e Barão
Luiz Batista e Navega
Parando em toda bodega
Para aguentar o rojão.

Só para ter uma ideia
Toda esta grande epopeia
Durou um dia completo,
E o percurso era pequeno
Mas de indiferentes foi pleno
Deixou o povo inquieto.

E a tourada que não houve
Somente ao touro se louve
Pela sua valentia,
Pois noutro dia bem cedo
Toureiro e artista com medo
Deixaram a praça vazia.

Apreensão do carro por atraso do IPVA gera indenização, dizem especialistas

Publicado por Consultor Jurídico

LEIAM 73 NÃO LEIAM
Apreenso do carro por atraso do IPVA gera indenizao dizem especialistas
Por Fernando Martines

Em reportagem da revista Consultor Jurídico, tributaristas afirmaram que é inconstitucional a apreensão de veículos devido a atraso de IPVA. Acontece que caso o carro seja retido, o proprietário tem direito a receber indenização por danos morais do Estado. Assim entendem outros especialistas consultados pela ConJur.

Gustavo Perez Tavares, tributarista do Peixoto & Cury, afirma que a fiscalização do IPVA é exercício legítimo do poder de polícia do Estado, com o objetivo de resguardar o pagamento de obrigações tributárias. Porém, o confisco do carro, configura abuso de autoridade. O advogado ressalta que, em geral, os carros guinchados são os sem licenciamento e explica que essa apreensão é legítima, "pois resguarda a segurança da coletividade ao impedir que veículo não autorizado rode pelas vias públicas”.

O advogado destaca que somente no caso de a apreensão ser única e exclusivamente pela dívida de IPVA é que está configurado o abuso de autoridade. “Neste caso, caberia a ação de indenização, na qual o contribuinte deverá comprovar, objetivamente, o dano material que a apreensão lhe causou, como por exemplo, recibos de táxi. A comprovação é mais fácil para pessoas que utilizam o veículo para trabalhar, como taxistas e entregadores. Comprovado o dano e o nexo causal entre o fato de apreender ilegalmente o veículo e o dano, aí sim seria devida a indenização”, conclui.

O uso comercial do carro pelo proprietário também foi destacado pelo advogado Guilherme Thompson, tributarista do Nelson Wilians e Advogados Associados, como forte elemento para indenização. “Poderá pleitear a condenação do Estado em danos morais e eventuais lucros cessantes, caso o veículo seja utilizado na execução de atividade comercial e fique paralisado, além de danos materiais nas hipóteses em que for necessário o aluguel de veículo temporário. Resguardadas, ainda, hipóteses em que surja a necessidade de reparação material derivada de eventuais prejuízos suportados pelo proprietário”.

O especialista em Direito Público Luiz Fernando Prudente do Amaral concorda com a possibilidade de ser indenizado pela apreensão, mas ressalta que a tese da inconstitucionalidade não é pacífica."No meu ponto de vista, a medida é inconstitucional, em razão de existência de outros meios de cobrança. Não deixa de ser reflexo do desespero dos Estados por recursos”, afirma o professor de Direito Civil no Instituto de Direito Público de São Paulo.

Os 10 melhores restaurantes de Natal

Publicado por

Foram avaliados mais de 2.400 estabelecimentos na cidade de Natal e este é o top 10 mais atualizado que você deve encontrar na web.
Estes restaurantes não necessariamente são os mesmos daquela lista dos 9 comentários sobre restaurantes em Natal que você deveria ver, mas merecem que você dê uma conferida para aquela ocasião especial.

1º Camarões Potiguar (próximo da beira mar de Ponta Negra)*

10-melhores-restaurantes-natal-2016-camaroes-potiguar-ponta-negra
Mais de 5.800 pessoas avaliaram este popularmente elogiado restaurante de Natal, sendo mais de 4.700 classificações positivas, e apenas 22 negativas.
Local: Rua Pedro Fonseca Filho, 8887
Preço médio: R$50 – R$70
* Na lista original, as lojas Camarões da Avenida Roberto Freire e do Shopping Midway Mall aparecem em 2º e 3º lugares respectivamente, porém não citamos aqui para dar lugar a mais dois restaurantes.

2º La Brasserie de La Mer

10-melhores-restaurantes-natal-2016-la-brasserie
O restaurante do Erick Jacquin, acoplado ao Hotel Majestic, foi avaliado por mais de 460 pessoas, sendo mais de 330 classificações positivas, e míseras 2 negativas.
Local: Avenida Engenheiro Roberto Freire, 3800
Preço médio: R$43 – R$60

3º Manary

10-melhores-restaurantes-natal-2016-hotel-manary-mesa-lua-noite
O restaurante que fica dentro do Hotel Manary em Ponta Negra foi avaliado por mais de 720 pessoas, sendo mais de 460 classificações positivas e só 8 negativas.
Local: Rua Francisco Gurgel, 9067

4º Casa de Taipa

10-melhores-restaurantes-natal-2016-casa-de-taipa
Localizado numa das ruas mais badaladas do Alto de Ponta Negra, ele foi avaliado por mais de 1.600 pessoas, sendo mais de 1000 classificações positivas, e apenas 19 negativas.
Local: Rua Manoel AB de Araujo, 130A

5º Nau Frutos do Mar


O NAU foi avaliado por mais de 1.160 pessoas, sendo mais de 760 classificações positivas, e 26 negativas.
Local: Rua Manoel AB de Araujo, 130A

6º Mangai

10-melhores-restaurantes-natal-2016-mangai
Famoso por sua essência nordestina, unindo decoração rústica, ambiente espaçoso e muita fartura, o Mangai foi avaliado por mais de 3.600 pessoas, recebendo 2.380 classificações positivas e só 37 negativas.
Local: Avenida Amintas Barros, 3300

7º Cuore di Panna

10-melhores-restaurantes-natal-2016-sorveteria-cuore-di-panna
A sorveteria italiana com vista para o Morro do Careca foi avaliada por mais de 430 pessoas, recebendo 270 classificações positivas e só 2 negativas.
Local: Avenida Engenheiro Roberto Freire ,9028

8º Mina D’água

10-melhores-restaurantes-natal-2016-mina-dagua-comida-mineira
O especialista em fazer comida mineira em terra potiguar foi avaliado por mais de 90 pessoas, e todas as classificações foram positivas.
Local: Rua Desembargador João Vicente da Costa, 8878

9º Trilha do Camarão


Esta loja que também é dedicada ao camarão foi avaliada por mais de 870 pessoas, tendo 765 avaliações positivas e 26 negativas.
Local: Rua Pedro Fonseca Filho, 500

10º Páprika


A pizzaria próxima de quase todos os restaurantes aqui citados foi avaliada por mais de 1190 pessoas, destas, 722 foram positivas e 34 negativas.
Local: Rua Pedro Fonseca Filho, 9001
Gostou? Curta nossa página do Facebook e fique por dentro de mais dicas.

Do portal: https://curiozzzo.com

Esta lista foi criada pelo site Trip Advisor

terça-feira, 26 de julho de 2016


A exclusão do nome do Serasa/SPC


Publicado por Rodrigo S. Froes
 
A excluso do nome do SERASASPC

Já chegaram nas minhas mãos diversos casos de pessoas com o nome “negativado” no SERASA e SPC, o que implicava na restrição de crédito na praça. Em geral acontecem duas situações: o credor manda registrar o nome da pessoa no quadro de inadimplente, mas a dívida estar composta de juros abusivos, ou às vezes a pessoa teve seu nome “negativado”, mas a dívida não existe.
Nestas duas situações é possível a exclusão do nome do SERASA/SPC, ou seja, o Juiz de Direito determina que a empresa “credora” cancele a restrição do crédito.

E como se dá toda esta dinâmica?

O SERASA e SPC são órgãos de proteção ao crédito e seu banco de dados é regulado pelo art. 43

Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990.

Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências.
Art. 43. O consumidor, sem prejuízo do disposto no art. 86, terá acesso às informações existentes em cadastros, fichas, registros e dados pessoais e de consumo arquivados sobre ele, bem como sobre as suas respectivas fontes.

§ 1° Os cadastros e dados de consumidores devem ser objetivos, claros, verdadeiros e em linguagem de fácil compreensão, não podendo conter informações negativas referentes a período superior a cinco anos.

§ 2° A abertura de cadastro, ficha, registro e dados pessoais e de consumo deverá ser comunicada por escrito ao consumidor, quando não solicitada por ele.

§ 3° O consumidor, sempre que encontrar inexatidão nos seus dados e cadastros, poderá exigir sua imediata correção, devendo o arquivista, no prazo de cinco dias úteis, comunicar a alteração aos eventuais destinatários das informações incorretas.

§ 4° Os bancos de dados e cadastros relativos a consumidores, os serviços de proteção ao crédito e congêneres são considerados entidades de caráter público.

§ 5° Consumada a prescrição relativa à cobrança de débitos do consumidor, não serão fornecidas, pelos respectivos Sistemas de Proteção ao Crédito, quaisquer informações que possam impedir ou dificultar novo acesso ao crédito junto aos fornecedores.
§ 6° (Vide Lei nº 13.146, de 2015) (Vigência)
 
Art. 43 do Código de Defesa do Consumidor - Lei 8078/90 125785
e seguintes do CDC, onde estão armazenadas informações sobre o consumidor. Enquanto o SERASA costuma registrar as informações de pessoas com inadimplência perante Instituições Financeiras, o SPC registra informações de pessoas com inadimplência perante o Comércio.
Muitas vezes o Banco manda registar o nome de um cliente (ou até de uma terceira pessoa que não é seu cliente) perante o SERASA, apesar da inexistência da dívida. Mesmo na hipótese de inexistência do débito, acontece de uma Instituição Financeira mandar registrar o nome de uma pessoa perante os órgãos de proteção ao crédito. Não estamos discutindo os motivos, mas isto costuma acontecer na prática, infelizmente.

Diante desta situação, de nome negativado perante o SERASA indevidamente, como proceder?

Trago a resposta com uma história baseada num caso real, mas preservando os nomes do “credor” e “devedor”.
Meu cliente estava fazendo uma compra a crédito de um eletrodoméstico, mas a compra foi recusada pelo vendedor em função de registro negativo perante SERASA (constava uma dívida perante uma Instituição Financeira). Ele argumentou que não devia a nenhuma Instituição Financeira, mas mesmo assim a compra a crédito do eletrodoméstico foi recusada. Pouco tempo depois ele recebeu uma Carta (notificação) do SERASA onde constava um débito de 6 mil reais perante um certo Banco (Instituição Financeira).

Mas ele não era devedor do Banco, não havia emitido qualquer tipo de titulo em favor deste Banco, a dívida não existia.

Ou seja, meu cliente acabara de descobrir que estava com uma restrição de crédito na praça!
Ele então me indagou como proceder, se era possível excluir seu nome do SERASA e pedir indenização pelos transtornos que passou.

Firmamos a procuração, contratos de honorários advocatícios, e ajuizei a dita Ação de Indenização por Danos Morais com pedido liminar para exclusão de seu nome do órgão de proteção ao crédito.
Tudo feito dentro do esperado, com base na jurisprudência consolidada do STJ (Superior Tribunal de Justiça). A questão de indenização por danos morais foi resolvida; meu cliente foi ressarcido e recompensado financeiramente pelos transtornos que passou. Contudo, gostaria de falar sobre a decisão do Magistrado que mandou excluir liminarmente seu nome do órgão de proteção ao crédito.
Liminarmente, assim que os autos do processo chegaram às suas mãos, o Magistrado determinou a exclusão do nome de meu cliente do SERASA.
E por quais motivos?

- Da minha parte, aleguei a possibilidade da concessão de liminar diante das dúvidas quanto à existência do débito, ou seja, diante desta dúvida é licito a exclusão do nome do “devedor” do SERASA/SPC. Esta jurisprudência do STJ, e também do TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), mostra que se há dúvidas quanto à existência do débito, o nome do “devedor” não pode ficar negativado.

Contudo, para mandar excluir o nome de meu cliente do cadastro de inadimplentes, o Magistrado trouxe outras fundamentações bastante interessantes.
Vamos a elas:
  • Que o “devedor” não tem condições de fazer prova de fatos negativos, ou seja, não é possível ao devedor fazer a prova da inexistência do débito, sendo esta prova uma obrigação (ônus) da Instituição Financeira. Segundo o Magistrado, cabe ao Banco provar a existência do débito em face do “devedor”.
  • Que a negativação do nome do consumidor perante o SERASA macula sua imagem, devendo o Poder Judiciário agir de forma rápida e eficiente;
  • Que os órgãos de proteção do crédito (SERASA/SPC) têm uma finalidade preventiva, ou seja, impedir que devedores contumazes continuem comprando a crédito. Para o Juiz de Direito, o SERASA e SPC não têm a finalidade de coagir o consumidor a cumprir suas obrigações;
  • E por fim, o Magistrado alegou que não havia perigo de irreversibilidade e que era preciso garantir a utilidade da decisão judicial futura. Significa dizer que se houver a prova da existência da dívida ao fim do processo, o nome do devedor seria incluindo novamente no cadastro de proteção ao crédito sem maiores prejuízos.
Assim, ficam registradas algumas possibilidades de exclusão do nome do devedor dos cadastrados do SERASA/SPC no caso de dúvidas sobre a existência ou montante da dívida.
Se este artigo foi útil para você, compartilhe com os amigos!
Conheça nosso blog jurídico para empresários e consumidores!

Detentos de presídio no RN ganham 'castigo' e perdem direito a TV e ventilador

 
Aliny Gama
Colaboração para o UOL, em Maceió
  • Divulgação/Secretaria de Justiça do Rio Grande do Norte
    Ventiladores recolhidos no presídio de Paranamirim (RN), onde os presos estão de castigo Ventiladores recolhidos no presídio de Paranamirim (RN), onde os presos estão de castigo
Presos de um pavilhão da Penitenciária Estadual de Parnamirim, localizada na região metropolitana de Natal (RN), estão de "castigo" por indisciplina. A punição: proibição de uso de qualquer eletrodoméstico ou produto eletroeletrônico, antes tolerados pela direção do local. A medida foi anunciada nesta terça-feira (26).
Uma operação dentro pavilhão 2 do presídio retirou ventiladores, televisores e aparelhos de som. Não há previsão para os equipamentos retornem às celas. Parentes poderão retirar os aparelhos, desde que comprovem com nota fiscal a sua propriedade.
O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Walber Virgolino, explica que a Lei de Execuções Penais não trata sobre a presença desses equipamentos dentro das celas e que presos estavam com mau comportamento tiveram as regalias cortadas.
O mau comportamento, no caso, foram as seguidas fugas e tentativas de fugas ocorridas nos últimos meses, segundo o secretário. "Os equipamentos não são regulamentados pela lei. São tratados como 'regalias' que os internos de bom comportamento têm acesso e continuam a ter. Só em casos de indisciplina que as 'regalias' serão tiradas. Os familiares do interno podem pegar os equipamentos mediante comprovação", disse Virgolino.
Ele explicou que as "regalias" foram concedidas em "gestões passadas e há muitos anos os presos podiam, mesmo com conduta indisciplinada, terem as celas equipadas com ventiladores, televisores e aparelhos de som"
A Secretaria de Justiça informou ainda que não há previsão de quando os presos poderão voltar a usar os aparelhos. Segundo Virgolino, os presos terão de demonstrar bom comportamento diário para que a situação seja revista pela direção.
Foram retirados 210 ventiladores, 18 televisores e 18 equipamentos de som. Os equipamentos que não tiverem a propriedade comprovada por nota fiscal pela família do preso vai ser doado a instituições de caridade.
A penitenciária tem 564 presos que cumprem pena em regime fechado. O pavilhão 2, onde estão os presos indisciplinados, está com 210 internos. A capacidade máxima do presídio é de 288 vagas.
 

6 dicas para fazer qualquer pessoa gostar de você


6 dicas para fazer qualquer pessoa gostar de você

Aprenda técnicas de persuasão com o professor de psicologia, Jack Schafer, que trabalhou durante anos como agente especial do FBI.

Segundo o professor, a regra de ouro que permite agradar qualquer pessoa é fazê-la se admirar. Mas, diz, é preciso também ter charme pessoal para que funcione.
Incrível.club traz 6 dicas excelentes de Schaffer que foram aplicadas com sucesso em seu trabalho e em sua vida.
1. Cometa um erro
Quando Schafer começa um novo curso, ’acidentalmente’ comete um erro de pronúncia de uma palavra e permite que seus alunos o corrijam.
Este truque é usado para atingir três objetivos ao mesmo tempo. Em primeiro lugar, corrigir um erro de seu mestre, faz com que os estudantes se sintam mais confiantes. Em segundo, eles começam a se comunicar mais abertamente com o seu mentor. E, em terceiro, permitem-se errar.
Este truque pode ser usado para qualquer um.
Cometer erros mostra que você não é perfeito, permite que as pessoas lhe corrijam. E isso é bom para elas.
2. Fale com as pessoas sobre elas
Estamos muito ocupados com nós mesmos e temos muito pouco interesse nos outros. No entanto, para agradá-las, você tem de mostrar interesse verdadeiro por elas.
«Você vai fazer mais amigos em dois meses, se se preocupar com as pessoas, do que em dois anos, se você esperar que se preocupem com você». (Dale Carnegie, escritor americano)
«Quando as pessoas falam sobre si mesmas, não importa se pessoalmente ou em redes sociais, são ativados os mesmos centros de prazer no cérebro que ​quando comemos um delicioso prato ou obtemos dinheiro.» (Robert Lee Holtz, colunista do The Wall Street Journal)
Estas duas frases mostram como é importante conversar com os outros sobre seus assuntos pessoais para ganhar confiança. Pergunte sobre sua família, biografia, filhos, sua opinião sobre um ou outro assunto. Sua gratidão (às vezes inconsciente) é garantida.
3. Faça um elogio na terceira pessoa
Às vezes, elogios diretos soam muito intrusos. Muitas pessoas não estão dispostas a aceitá-los ou se sentem desconfortáveis. Nestes casos, o melhor é usar um elogio em terceira pessoa.
Por exemplo, se você quer pedir um favor a sua companheira Olga e lhe disser: «Olga, a propósito, o chefe de recursos humanos disse que você é a funcionária mais responsável de nossa empresa».
Não necessariamente tem de elogiar suas qualidades profissionais; você pode se concentrar nas pessoais. Por exemplo, «Olga, o chefe de recursos humanos até hoje se lembra dos deliciosos bolos que você preparou para seu aniversário».
4. Não se esqueça de se mostrar compadecido
Toda pessoa se sente bem quando a escutam atentamente e compartilham suas emoções. Claro, se alguém começa a falar sobre como foi difícil o seu dia, você não tem que chorar: «Oh, que horrível, coitado». Especialmente se for seu chefe.
Uma frase como «Sim, você teve um dia difícil. Todos nós passamos por isso» é mais do que suficiente. Se alguém diz que conseguiu terminar uma tarefa difícil, você pode resumir desta forma: «Parece que hoje tudo correu bem!».
Temos de convencer o nosso interlocutor de que compartilhamos dos seus sentimentos e o compreendemos. Além disso, se você tentar apoiar alguém, não deve repetir as suas palavras literalmente. Seu parceiro perceberia e tomaria a repetição como falsidade.
5. Peça favores
Uma famosa frase de Benjamin Franklin diz: «Aquele que uma vez ajudou você com mais disposição, vai voltar a ajudá-lo, isso é mais certo do que esperar auxílio de quem você ajudou». O fenômeno é conhecido como o efeito de Benjamin Franklin. A pessoa, fazendo um favor para o outro, cresce em seus próprios olhos. Isto é, se você quiser agradar alguém, é melhor você não fazer um favor, mas pedir um. Obviamente, não deve abusar da boa vontade da outra pessoa.
Como engenhosamente observou Franklin, «as visitas são como peixes, começam a cheirar mal no terceiro dia». O mesmo se aplica àqueles que pedem favores com muita frequência.
6. Faça a pessoa se elogiar
A diferença entre uma cortesia e um agrado é muito sutil, por isso é melhor fazer seu interlocutor se elogiar. Por exemplo, alguém lhe diz algo como «Trabalhei dia e noite para terminar este projeto.» Você pode dizer: «Sim, foi preciso muita determinação para isso.» É quase certo que o seu interlocutor responderá algo como «Sim, tive de me esforçar para apresentá-lo a tempo. Certamente, trabalhei muito bem».
A capacidade de fazer uma pessoa se elogiar é ótima. Pratique-a, pois fará com que as pessoas se sintam bem e certamente elas vão gostar disso.
Estas dicas não são um apelo à hipocrisia. Só queremos ajudá-lo a viver em paz com os outros e fazê-los sentir-se bem.

Fonte: Jack Schafer «The Like Switch»
Tradução e adaptação: Incrível.club

25 frases de Fiódor Dostoiévski que vão te fazer pensar

Dostoiévski foi um escritor que penetrou nos cantos mais escuros da alma russa. Ele é considerado um psicólogo da escrita e um pesquisador do coração humano, porque compadecia o sofrimento dos seus personagens. O que eles sentiam, ele havia conhecido na própria pele.

Incrível.club juntou 25 frases marcantes deste escritor. Elas vão te fazer refletir por um bom tempo.
  1. Devemos amar mais a vida do que o sentido da vida.
  2. Nenhum dos dois dará o primeiro passo porque ambos pensam que não é mútuo.
  3. Tudo tem uma linha e cruzá-la é perigoso; uma vez cruzada, é impossível voltar atrás.
  4. Felicidade é saber alcançar a felicidade.
  5. O povo aproveita o próprio sofrimento.
  6. Parar de ler livros é parar de pensar.
  7. Liberdade não é conter-se, é saber se controlar.
  8. Não há felicidade na comodidade; a felicidade se compra com o sofrimento.
  9. Em um coração que ama de verdade, ou o ciúme mata o amor, ou o amor mata o ciúme.
  10. Não é preciso muito para matar uma pessoa: basta convencê-la de que ninguém precisa do que ela faz.
  11. Meu amigo, lembre-se: ficar em silêncio é bom, seguro e bonito.
  12. Um escritor cujas obras não fizeram sucesso, facilmente se transforma em um crítico ácido; como um vinho ruim e sem sabor que se transforma em vinagre.
  13. É uma pessoa inteligente, mas para agir com inteligência ela não é suficiente.
  14. Se, ao tentar alcançar um objetivo, você parar para jogar pedras em cada cachorro que latir, você nunca vai chegar ao final.
  15. Quero poder falar de tudo com pelo menos uma pessoa, até comigo mesmo.
  16. É surpreendente o que um raio de sol pode fazer com a alma humana!
  17. É preciso falar cara a cara para poder ler a alma no rosto, para que o coração soe em palavras. Uma palavra dita com convicção, com plena sinceridade e sem medo, vale muito mais que dez folhas de papel cobertas de palavras.
  18. A vida é salva sem um propósito.
  19. A alma se cura ao lado das crianças.
  20. Quem quer ser útil, até com as mãos atadas pode fazer o bem.
  21. A beleza salvará o mundo.
  22. Às vezes, se fala na brutalidade animal do ser humano, mas isso é incrivelmente injusto e insultante para as feras; um animal nunca poderia ser tão cruel como o ser humano, tão artisticamente cruel.
  23. Os adultos não sabem que uma criança pode dar um conselho extremamente importante até em um assunto super complicado.
  24. Não encha a sua memória com rancores para que não falte espaço para os momentos bonitos.
  25. A pessoa que sabe abraçar é uma boa pessoa.

Tradução e Adaptação: Incrível.club

 

Assu/RN.

Novo exame de sangue detecta Alzheimer em seus estágios iniciais com 100% de precisão

teste-alzheimer-838x340


O que torna a doença de Alzheimer tão aterrorizante é a sua inevitabilidade. Não temos vacinas ou medidas preventivas, de forma que ou você tem (ou terá) Alzheimer ou não. E uma vez que você tenha, há pouca esperança de recuperação, porque não temos nenhum tratamento ou cura.

Mas e se pudéssemos detectar a doença anos antes que seus sintomas começassem a aparecer, para dar não só aos pacientes a chance de retardar sua progressão, mas também aos pesquisadores uma melhor visão sobre como ela se desenvolve?

A “prova de conceito” de um novo exame de sangue acaba de ser concluída, e a equipe responsável relatou “uma precisão sem paralelo” na detecção dos estágios iniciais da condição.

“É comumente aceito atualmente que as mudanças relacionadas ao Alzheimer começam no cérebro pelo menos uma década antes do surgimento de sintomas reveladores”, diz Robert Nagele, membro da equipe, da Universidade de Rowan, nos EUA.

“Pelo nosso conhecimento, esta é a primeira análise de sangue utilizando biomarcadores de auto-anticorpos que podem detectar com precisão a doença de Alzheimer em um ponto mais cedo no decurso da doença, quando os tratamentos são mais suscetíveis a serem benéficos – isto é, antes que uma devastação muito grande do cérebro ocorra”.

O teste

O teste foi concebido para detectar uma fase precoce da doença chamada Leve Comprometimento Cognitivo de Alzheimer (MCI, na sigla em inglês), e distingui-la de casos similares de declínio mental que são causados por outros fatores, como problemas vasculares, depressão crônica, abuso de álcool e efeitos colaterais de certas drogas.

Para o teste, Nagele e sua equipe recolheram amostras de sangue de 236 participantes, incluindo 50 que tinham sido diagnosticados com MCI, 50 com doença leve a moderada de Alzheimer, 50 pessoas saudáveis, e o restante tinha sido diagnosticado com doença leve a moderada de Parkinson, uma fase precoce de Parkinson, esclerose múltipla ou câncer de mama.

Os pacientes com MCI tinham sido diagnosticados com base em níveis baixos de beta-amilóide 42 peptídicos no líquido cefalorraquidiano, que tem sido identificado como um predecessor da rápida progressão do Alzheimer.

Para analisar o sangue, o teste utiliza uma série de microarranjos de proteínas humanas – catálogos de 9.486 proteínas únicas – para atrair auto-anticorpos no sangue que podem estar ligados à doença.

Outras doenças

Os auto-anticorpos são um tipo particular de anticorpos produzidos pelo sistema imune para atingir certas proteínas no organismo. Isto às vezes pode dar errado, e acabar como uma doença auto-imune, mas a forma como eles respondem a diferentes tipos de doenças faz deles um novo candidato muito promissor para a detecção e diagnóstico.

Os investigadores identificaram os 50 melhores biomarcadores de auto-anticorpos para MCI e outras doenças diagnosticadas em seus participantes, e quando os usaram para analisar as amostras de sangue, descobriram que eram 100% precisos na taxa global de precisão, sensibilidade e especificidade na detecção de amostras de sangue com MCI.

Usando este método, o teste também foi bem sucedido na detecção de Alzheimer precoce e moderado (98,7%), da fase inicial do Parkinson (98%), esclerose múltipla (100%) e câncer da mama (100%).

A equipe diz que, embora esses resultados sejam animadores, eles precisam testar o método em uma amostra muito maior e mais diversificada, para ver se a média de 100% oscila com dados adicionais.

Embora saber que você tem Alzheimer mais cedo do que mais tarde não vai impedi-lo de desenvolver a doença por completo, poderia dar aos pacientes a oportunidade de se inscrever para ensaios clínicos de novos medicamentos e tratamentos, planejar cuidados médicos futuros, e até mesmo explorar formas de ajudar a retardar sua progressão, define a equipe de pesquisadores.

O Alzheimer é responsável por 50% a 80% dos casos de demência no mundo, o que mostra que testes como este são extremamente necessários. Talvez, se conhecermos melhor esta doença em seus estágios iniciais, podemos ser capazes de descobrir como ela começa e como preveni-la.

Fonte: http://hypescience.com/alzheimer-precisao/

segunda-feira, 25 de julho de 2016





Enviado por Paulo Sergio Martins
DA REPUGNANTE ARTE DE BAJULAR

Todo bajulador tem um traço comum: não gosta do bajulado.

Por sua natureza servil, de cortesão, só serve a seus próprios propósito...s.
Sempre!

Em qualquer corte, com qualquer bajulado!

Sua vaidade maior não é ser útil, mas atingir seus fins por meio do servilismo.

No seu íntimo e com os seus, costuma dar boas gargalhadas da arte de manipular o ego alheio, o que faz com esmero.

Só o bajulado não percebe isso, por se sentir dominador, quando de fato é ardilosamente dominado.

[▲Carlos Santos, ‘Coluna do Herzog’]

MOSSORÓ: MORRE O EMPRESÁRIO SÍLVIO MENDES

Silvio Mendes com o empresário Diran Amaral (falecido), ex-governador Geraldo Melo, ex-deputado Laire Rosado e o jornalista Dorian Jorge (falecido). foto: internet
Silvio Mendes com o empresário Diran Amaral (falecido), ex-governador Geraldo Melo, ex-deputado Laire Rosado e o jornalista Dorian Jorge (falecido).

Por Jornal de Fato
 
Morreu na noite deste domingo (24) o empresário e político aposentado Sílvio Mendes de Souza. Ele estava em casa, no bairro Nova Betânia, bairro nobre de Mossoró, quando passou mal e não resistiu aos primeiros procedimentos de socorro.
Sílvio Mendes tinha 88 anos de idade.
Natural de Assu, nascido a 4 de junho de 1928, filho de Francisco Pedro de Souza e de Francisca Gregório de Souza, Sílvio fez carreira empresarial e política na cidade de Mossoró.
Ele criou a Indústria de Móveis Silvan, referência na economia da cidade até a década de 90.
Como político, exerceu o mandato de vice-prefeito de 31 de janeiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988, na segunda gestão do prefeito Jerônimo Dix-huit Rosado Maia.
Sílvio Mendes era casado com Maria de Lourdes Nogueira Mendes, Dona Lourdinha (falecida), com quem teve os filhos Silmar Mendes, Simone, Sílvio, Lúcia (falecida), Paulo Mendes, Marcos Mendes e Sílvio Mendes Júnior.
O corpo de Sílvio Mendes está sendo velado na Capela de São Vicente, no centro de Mossoró.
O sepultamento está marcada esta segunda, 25,  as 16h, no Cemitério de São Sebastião.




Blog do BG: 

domingo, 24 de julho de 2016

Eu te falarei da noite misteriosa e doce
E das mil angústias que afligem a minha alma.
Na tua procura pelos mundos desolados,
Encontrei somente a dor habitando a minha solidão
Eu te falarei do mar ausente, e da nuvem...
De mármore que se quebrou de encontro ao ocaso.
Não te falarei das colinas de Deus, dos penhascos
Distantes decorados por horizontes de ouro.
Te falarei, entretanto, da minha solidão
Caminhando pelas florestas insones do pranto
E te recordando em cada flor, em cada pássaro
Voando em direção à aurora em busca da morte.
Te direi apenas da minha pobreza, da minha dor
Quanto desfeitas e caídas com pétalas das mãos de Deus.


(Walflan de Queiroz) Em, O testamento de Jó, p. 49
 
Valsa Fúnebre

Por Ledo Ivo

Eis-me junto à tua sepultura, Hermengarda,
para chorar a carne pobre e pura que nenhum de nós viu apodrecer.

Outros viriam lúcidos e enlutados,
porém eu venho bêbado, Hermengarda, eu venho bêbado.
E se amanhã encontrarem a cruz de tua cova jogada ao chão
não foi a noite, Hermengarda, nem foi o vento.
Fui eu.

Quis amparar a minha embriaguez à tua cruz
e rolei ao chão onde repousas
coberta de boninas, triste embora.

Eis-me junto à tua cova, Hermengarda,
para chorar o nosso amor de sempre.
Não é a noite, Hermengarda, nem é o vento.
Sou eu.

Cinco curiosidades sobre Machado de Assis

     
machado-de-assis

O autor de Dom Casmurro nascia há 177 anos
Poucos autores foram tão importantes para a literatura brasileira quanto Machado de Assis. Um dos maiores difusores do realismo brasileiro, suas obras eram marcadas por um pessimismo niilista e mordaz que nos deu personagens ambíguos e apaixonantes como Capitu e Bentinho. No dia do aniversário deste grande autor, confira cinco curiosidades sobre sua vida e obra. E, claro, algumas sugestões de livros!

Amor
 

Carolina Machado, esposa do escritor, era quatro anos mais velha que ele e extremamente culta. Foi ela quem apresentou a Machado os grandes clássicos portugueses e diversos autores da língua inglesa. Alguns pesquisadores afirmam que era ela quem revisava os textos do escritor. “Machadinho”, como o autor assinava as mensagens de amor para a noiva, entusiasmava a esposa com cartas que previam o destino dos casal: “…depois, querida, ganharemos o mundo, porque só é verdadeiramente senhor do mundo quem está acima das suas glórias fofas e das suas ambições estéreis.”

Xadrez
 

Este era o jogo predileto do autor. Ele, inclusive, chegou a participar do primeiro campeonato disputado no Brasil. As peças usadas pelo escritor estão até hoje em exposição na Academia Brasileira de Letras.

ABL
 

Machado de Assis foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Modesto, ocupou a cadeira número 23. Como patrono da cadeira número 1, a Academia escolheu José de Alencar.

Morte
Com a morte da esposa, Machado entrou em profunda depressão. Numa carta ao amigo Joaquim Nabuco, ele lamenta: “foi-se a melhor parte da minha vida, e aqui estou só no mundo”. Segundo alguns biógrafos, as últimas palavras de Machado de Assis antes de morrer foram: “A vida é boa”. O discurso em seu funeral foi feito por Rui Barbosa. Machado foi sepultado no cemitério São João Batista em 1908, mas seus restos mortais foram transferidos para a sede da Academia Brasileira de Letras em 1999.

Dinheiro
 

Numa época em que a moeda nacional se desvalorizava com muita velocidade, a imagem do autor ilustrou uma cédula. A imagem de Machado de Assis foi estampada na cédula de mil cruzados, que circulou entre 1987 e 1990.

Algumas das importantes obras do “Bruxo do Cosme Velho”.

Memórias póstumas de Brás Cubas

Narrado em primeira pessoa, seu autor é Brás Cubas, um “defunto-autor”, isto é, um homem que já morreu e que deseja escrever a sua autobiografia.

Estante Virtual

sábado, 23 de julho de 2016

ABRN PROMOVERÁ ENCONTRO DE BLOGUEIROS DO VALE DO AÇU EM ALTO DO RODRIGUES

      |     
Banner-principal
 
A comissão provisória da Associação de Blogueiros do Rio Grande do Norte (ABRN), realizará no próximo dia 27 de julho, uma importante reunião para discutir e definir questões pontuais no processo de formalização da entidade.
O evento acontecerá na próxima quarta-feira, a partir das 18h30, na Câmara Municipal de Alto do Rodrigues. Clique aqui, cadastre-se e confirme sua presença no evento.
Vantagens de ser Associado
– Fortalecimento da classe e serviços de apoio administrativo e jurídico frente ao mercado;
– Segurança em pertencer ao quadro associativo, ao lado de outros profissionais com forte presença no mercado, adequada capacitação, padronização de serviços e valores como: ética, confiança, financeiro, inovação, sustentabilidade, valorização pessoal e profissional/
– Padronização de serviços e preços aplicados à clientes;
– Integrar ativamente as reuniões dos associados, sua ampla rede de informação;
– Participar das ações de comunicação e marketing para fomentar a Associação;
Acesso a informações técnicas na esfera jurídica, trabalhista, fiscal, sindical e tributária;
Sua participação associativa é fundamental na construção de oportunidades para vivenciar experiências culturais, saudável e enriquecedora;
– Contribuir com o fortalecimento da profissão, pesquisar e buscar maior visibilidade prática para a profissão, focado no exercício da Informação através de Blogs, com dignidade, o que merece o reconhecimento do seu papel como cidadão no acompanhamento das bandeiras de lutas e evolução;
– Fundamenta-se no crescimento pessoal de cada profissional, onde oportuniza-se a participação nas discussões políticas da categoria.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

MANOEL CALIXTO CHEIO DE GRAÇA

E quem não se lembra de Manoel Calixto Dantas, também chamado pelos mais íntimos de Manoel do Lanche? Ele era estabelecido (vendia miudezas e jogo de bicho), num dos box do Mercado Público do Assu.  Ele era natural de Carnaúba dos Dantas e assuense por opção e escolha, terra que viveu durante mais de cinquenta anos, constituiu família e fez boas amizades. Como não podia ser diferente, por ter  convivido com os poetas assuenses, Manoel começou a escrever versos populares. Sua predileção para versejar era a glosa (décima), sextilha e  trova sobre o cotidiano da terra assuense. Tempos atrás, os poetas do Assu aproveitava os momentos de campanhas políticas, para satirizar os candidatos em forma de versos, bem como elogiar o candidato de sua preferência, além de pedir o voto popular, se candidato fosse. Manoel Calixto era um deles. Pois bem, numa certa eleição, década de setenta, Manoel candidatou-se disputando uma cadeira a câmara dos vereadores do Assu, pelo então MDB, atual PMDB, então comandado em Assu pelo deputado Olavo Montenegro e João Batista, explorou a sua verve para chegar próximo ao eleitor, pedir o voto da seguinte forma: 

Negue o soldado ao Tenente,
Negue esmola ao aleijado,
Negue ao faminto o bocado,
Negue ao Major a patente,
Negue ao seu filho a benção,
Negue o direito ao patrão,
Negue tudo, isto eu suporto
Só não me negue o seu voto
No dia da eleição.

E essa outra:

Falte uma noite a seresta,
Falte ao garoto inocente,
Falte o remédio ao doente,
Falte uma noite de festa.
Numa fase como esta,
Falte tudo ao seu irmão,
Falte a festa de São João,
Todas as faltas suporto
Só não me falte esse voto
No dia da eleição.

Fernando Caldas

quinta-feira, 21 de julho de 2016

LITERATURA DE CORDEL: IVAN PINHEIRA LANÇA SEU PRIMEIRO CORDEL



O assuense Ivan Pinheiro Bezerra estreou nesta quinta-feira, 21/07, na literatura de cordel com 'AGRURAS DE UM VELHO SOBRADO'. O trabalho tem 08 páginas, 32 estrofes, 20 notas explicativas sobre o prédio da Família Amorim, localizado na Praça Getúlio Vargas, 205 - Centro - Assu, onde funciona o Bar de Nego João. 
Agruras de um velho sobrado é um relato do próprio casarão que se encontra abandonado. 

"... Sofro agruras do desgaste temporal
após dar leito a gente de moral
estou danificado e caindo.
Agarro cada tijolo que me cai
como a mãe pega um filho que vai
lentamente dos braços esvaindo..."

O desenho da capa é uma xilogravura de Ivan Pinheiro com diagramação do poeta Gélson Pessoa. O Cordel conta com a parceria cultural da Academia Assuense de Letras, Casa do Cordel e da Coleção Pinheiro. 
Nas bancas a partir de sábado. 

Concurso Literário - Academia Assuense de Letras anuncia resultado final do Concurso Literário de Contos

 
A Academia Assuense de Letras divulgou na manhã desta quarta-feira (20/07/2016) o resultado final do concurso de Contos Jovens Contistas Grandes Escritores.

O concurso foi lançado em 23 de janeiro de 2016 e recebeu trabalhos de escritores norte-rio-grandenses até o dia 29 de abril. Em seguida os trabalhos foram encaminhados para a comissão julgadora composta pela Professora Dra. Marise Adriana Mamede Galvão, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte; da professora Helena de Sá Leitão da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte UERN/Assu e do Professor e Jornalista Francisco Francinaldo Rafael de Oliveira da cidade de Mossoró.

O resultado final apresentou como grande vencedor o Conto Ele não mora mais em mim, de autoria de Rosmari Nervis de Souza.

A vencedora é uma gaúcha, radicada em Assu desde 2010; é continuamente interessada pelas múltiplas possibilidades da linguagem literária. Sua literatura trilha tanto as veredas da poesia quanto da ficção em prosa, sua especialidade. Seus contos implicam um trabalho esmerado com o idioma, em especial com as variantes mais regionalistas, além de abordar as angústias e reações mais humanas em seus personagens. Já teve contos premiados e publicados na região, dentre os quais destacam-se os contos Pena e Sempre em sua vida, que foram agraciados com o Prêmio Celso Dantas da Silveira e publicados em coletânea de mesmo nome, em Assu-RN, em 2011; foi selecionada para publicação pela Biblioteca Municipal de Casa Amarela, no Recife-PE, em 2011. Em narrativas oniscientes, a autora investiga as angústias que as vivências impõem a personagens repletos de humanidade.

A vencedora receberá o prêmio de R$ 1.000,00 (Hum mil reais) além de troféu, certificado e a publicação de seu conto no livro Jovens Contistas Grandes Escritores: Contos Potiguares.

O segundo lugar ficou com o conto Maria: nordeste-mulher da autoria de Mirelly Moura de Lemos da cidade de Alto do Rodrigues. Ela receberá uma premiação no valor de R$ 500,00 (Quinhentos reais), troféu, certificado e a publicação do conto em um livro.

O terceiro lugar coube ao conto Plumas Oníricas da autoria de Alberto Bezerra de Palhares Junior da cidade de Macaíba. Ele receberá um prêmio de R$ 300,00 (trezentos reais), troféu, certificado e publicação do conto.

Além dos três primeiros colocados, também serão publicados na obra Jovens Contistas Grandes Escritores: Contos Potiguares, os 10 contos classificados pela comissão julgadora com Menção Honrosa. São eles: 

Jeanne de Araújo Silva
Royal cinema
Paulo Silas Nunes Peixoto
Substantivo feminino: Solidão
Carlos Eduardo Queiroz de Andrade
A lenda do sanhaço rei potiguar
Rosmari Nervis De Souza
O gotejar das caneluras
Valdir Moreira da Silva
Malfeitos
Alisson Eltrime de Melo
Quebra de Rotina
Cefas de Carvalho Silva
Chuva de Fogo
Larissa Lorena Araújo Da Costa
Para cada pôr do sol, há sempre um amanhecer
Sidileide Batalha do Rêgo
A camisa azul Xadrez
Lázaro Vieira Almeida De Oliveira Júnior
Pássaro de Hermes

O livro está na fase de diagramação e em seguida será enviado à editora.  
A premiação e o lançamento do livro acontecerá no mês de Outubro de 2016.
--
Fonte: Francisco José Costa dos Santos - 1º Secretário da AAL ​