FERNANDO CALDAS - SOBRE TUDO

segunda-feira, 27 de julho de 2020

LEMBRANDO IVANILTON GALHARDO


Ivanilton, além de médico neurologista formado pela UFRN, era também compositor, escritor, seresteiro da velha guarda, “médico de cérebro e poeta de coração”. Ele teve uma vida recheada de valores e princípios.
Ivanilton se não foi médico da primeira turma, foi um dos primeiros médicos neurologistas formados por aquela universidade. É autor, salvo engano, do livro sob o título ‘Propedêutica Neurológica Essencial’.
Lembro-me dele, Doutor Ivanilton ou simplesmente Ivanilton, quando médico de profissão, atendendo no seu consultoria que ficava num prédio de primeiro andar, esquina da rua Princesa Isabel com a João Pessoa, Cidade Alta, bairro de centro da capital potiguar. Isso nos idos de sessenta. Naquele tempo, fui por ele consultado quando eu era ainda adolescente e depois na minha vida adulta. Por sinal, Ivanilton era sobrinho de minha avô paterna pelo lado da família Fernandes de Queiroz, do alto oeste do Rio Grande do Norte. Portanto, é Ivanilton, meu primo em segundo grau com muito orgulho.
A escritora Leide Câmara em seu livro intitulado Dicionário da Música do Rio Grande do Norte, 2001, pag. 253, depõe que Ivanilton Galhardo “revelou-se compositor em 1983, quando a música Vagando nos teus olhos, em parceria com Duarte de Carvalho, foi gravada por Wigder Valle, no LP Música Universitária. Em 1998, como cantor, gravou a mesma música no CD coletânea MPB-Médico Popular Brasileiro.”
Por fim, revendo os guardados de minha avó, encontro a fotografia de formatura dele, Ivanilton, um pouco gasta pelo tempo, conforme abaixo.
Fica, portanto, um pouco da vida e obra daquele renomado médico, professor, que se dizia apaixonado pela neurologia, chamado Ivanilton Galhardo que, por Ironia do destino fora vítima aos 73 anos de idade, de Acidente Vascular Cerebral.
Fernando Caldas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

  Nas Asas da Vida Poema perdido no jardim Eu só queria mãos que me ajudassem arrumar jardins eu só queria braços que me protegessem eu só q...